Home Economia Ao aumentar impostos, secretário diz que está ‘devolvendo aos pobres’

Ao aumentar impostos, secretário diz que está ‘devolvendo aos pobres’

0
Carol Brito (esq), Bernardo D'Almeida e Renata Bezerra de MeloFoto: Arthur de Souza/Folha de Pernambuco


Por: FolhaPE


Secretário-executivo da Fazenda de Pernambuco, Bernardo D’Almeida garante que os critérios utilizados pelo Nota Fiscal Solidária estão de acordo com as condições de famílias que recebem o Bolsa Família

Com a missão de defender o pacote de aumento de impostos e criação do programa Nota Fiscal Solidária do Governo de Pernambuco, o secretário-executivo da FazendaBernardo D’Almeida, virou vitrine e assumiu a linha de frente na defesa de uma das propostas mais espinhosas apresentadas pelo Palácio do Campo das Princesas, desde a reeleição do governador Paulo Câmara(PSB). Em entrevista à coluna digital No Cafezinho, o auxiliar estadual garante que o aumento da carga tributária proposto foi feito “para o bem da sociedade” porque majora a carga de produtos de acordo com seu impacto econômico, ambiental e na saúde. Ele também garante que os critérios utilizados pelo Nota Fiscal Solidária estão de acordo com as condições de famílias que recebem o Bolsa Família.

Segundo o projeto do Governo do Estado, os beneficiários do Bolsa Família que quiserem fazer parte do Nota Fiscal Solidária vão ter que gastar R$ 500 por mês, em um total de R$ 6 mil por ano, para ter acesso ao valor equivalente a uma parcela do Bolsa Famíliade R$ 150. Apesar das famílias participantes do programa estarem em situação de extrema pobreza, o auxiliar afirma que o benefício não é a única fonte de renda da população.

“(O líder da oposição) Silvio Costa Filho (PRB) colocou como absurdo que uma pessoa consuma R$ 500 reais com produtos da cesta básica. Na audiência, eu coloquei de forma clara que a família pernambucana é trabalhadora. A família que recebe o Bolsa Famílianão deixa de trabalhar não. Ela não ganha salário mínimo, mas consegue renda. Se prevalecesse o pensamento de que o beneficiário só ganha o Bolsa Família, teríamos um canteiro de mortos nas estradas e cidades do interior do Estado”, avalia.

O gasto previsto no projeto, contudo, não comporta todos os custos para a manutenção de uma família e calcula apenas as despesas com ítens específicos detalhados na matéria, como feijão, arroz, óleo de soja, frango, ovos, carne, entre outros. Segundo o auxiliar, pesquisas atuais sobre o Bolsa Família mostram que 90% dos produtos que essas famílias consomem pertencem à cesta básica e somente 10% é destinado para outros gastos. Entre os estudos enviados pelo secretário para a reportagem- que segundo ele embasaram o cálculo do governo – estão pesquisas sobre hábitos de consumo de beneficiários do programa no Sul e Sudeste, além de um estudo sobre os usuários do programa em uma comunidade de Caruaru, que apontam que 91% das famílias declaram como prioridade o gasto com comida.

Setores produtivos
Enquanto afina a retórica, Bernardo D’Almeida também corre para apagar incêndios. Ele vem se reunindo com entidades representativas de setores produtivos para explicar o impacto econômico da proposta.

Ontem, ele esteve com representantes da Federação Nacional de Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave), que criticou o aumento de 12% para 14% na alíquota de carros com valor acima de R$ 50 mil. Também se encontrou com representantes do setor sucroalcooleiro para tratar do aumento de 2% no etanol.

Cotado
Questionado se a participação na linha de frente do Governo poderia render uma indicação para o primeiro escalão estadual, Bernardo D’Almeida se esquivou: “Sou soldado e bom soldado fica na planície”. Nos bastidores, o nome dele é cotado para assumir a titularidade da Secretaria da Fazenda.

As melhores notícias você encontra aqui.

Leia também…

1-STF | Professores podem receber com correção quase 48% em reajustes não pagos do piso do magistério!

2-Piso do Magistério para 2019 pode ser o menor, mas é possível mudança no percentual

3-Antigo Fundef: Pesqueira tem quase 10 milhões dos professores que foram bloqueados pela justiça

4-Mais de 200 economistas propõem a Bolsonaro fim da estabilidade dos servidores públicos

5-Governador proíbe projeto Escola sem Partido! Quem filmar, ameaçar ou coagir professores será punido! Veja Decreto e compartilhe…

6-Após vetar piso dos professores e dar aumento para si mesmo, STF se desmoraliza em todo o País

7-24 milhões do FUNDEF foram pagos em Belo Jardim-PE

8-Governadores pedem fim da estabilidade do funcionalismo e são rechaçados por Flávio Dino! Leia e compartilhe…

9-Vítima fatal: ônibus da banda Edson Lima e Gatinha Manhosa se envolve em acidente no Piauí

10-Gestores poderão pagar professores com precatórios do extinto Fundef, diz deputado! Leia e compartilhe…

Os comentários abaixo não expressam a opinião do blog Ouricuri em Foco e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.