Home Destaque Barragem sangra e vira atração em Afogados da Ingazeira, no Sertão

Barragem sangra e vira atração em Afogados da Ingazeira, no Sertão

0

JC Online / Foto: Cláudio Gomes/ Prefeitura de Afogados da Ingazeira


Moradores fazem fila para registrar o momento. O grande número de visitantes fez com que a prefeitura criasse esquema de segurança

A Barragem de Brotas, em Afogados da Ingazeira, Sertão pernambucano, virou atração para os mais de 37 mil habitantes do município após voltar a sangrar na segunda-feira. A última vez em que os afogadenses presenciaram o acontecimento foi em 2009. O número de visitantes ansiosos para registrar o momento foi tão grande que a prefeitura teve que criar um esquema de segurança, organizando grupos de 30 pessoas por vez. Além disso, placas informativas estão sendo colocadas e o gradil reformado para receber a população.

A barragem, que abastece Afogados da Ingazeira e o município de Tabira, também no Sertão do Pajeú, tem capacidade para acumular 19,6 milhões de metros cúbicos de água. De acordo com a Companhia de Saneamento de Pernambuco (Compesa), ela estava em colapso desde fevereiro de 2017. Em abril do mesmo ano voltou a acumular água. No início de 2018, estava com 11% da capacidade e, após as recentes chuvas na região, o reservatório conseguiu se recuperar e sangrar.

O agricultor Lucas de Freitas Queiroz, 74 anos, esperou tanto que chegou a pensar que nunca mais veria a barragem sangrar. “Achei que morreria antes de ver isso de novo. A alegria é muito grande, porque a gente já sofreu demais”, conta ele, que já iniciou o plantio.

O cenário que enche os agricultores de esperança inspira cuidados do poder público. “Chegamos a contar mais de 70 pessoas no paredão para ver a barragem sangrando. Por isso, tivemos que tomar providências. Isolamos algumas áreas e ordenamos o acesso a outras, com auxílio da Guarda Municipal, Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros. Estamos terminando os levantamentos para fechar, nos próximos dias, o plano de contingência”, informou o prefeito de Afogados da Ingazeira, José Patriota.

O chefe do executivo municipal informou ainda que um comitê de prevenção aos efeitos das enchentes, que envolve Compesa, PM, bombeiros e o Ministério Público de Pernambuco (MPPE), além de todas as secretarias, já foi criado para discutir as ações necessárias.

As visitas ao paredão da barragem acontecem das 6h às 18h. Cada grupo de pode ficar cerca de cinco minutos no local para tirar fotos. O prefeito garante que a fila é grande. “O povo tem muito amor pela barragem. Desde que começou a sangrar, a procura tem sido muito grande.” A decisão de limitar a quantidade de pessoas se deu porque o gradil não está em boas condições de conservação. A prefeitura informou que a Secretaria Municipal de Infraestrutura já iniciou os trabalhos de recuperação e irá instalar um portão na entrada, para facilitar o controle do acesso.

As intervenções ainda incluem limpeza das margens, com a retirada do mato e das algarobas e o cercamento da sua margem direita, para evitar banhos no local e possíveis afogamentos. A prefeitura também confeccionou placas, que estão sendo instaladas no local com orientações à população. Moradores do município também receberam um número específico para atendimento da Defesa Civil: (87) 99629 5758. O telefone é exclusivo para situações de emergência, não podendo ser acionado para as demandas comuns do dia a dia.

ABASTECIMENTO

A cheia da barragem já trouxe melhorias para a região. De acordo com a Compesa, houve alteração no calendário de abastecimento de Afogados da Ingazeira. Agora, os moradores do município têm cinco dias com fornecimento de água e dois sem. Antes, era o contrário: cinco dias sem água e dois com água.

A previsão da Agência Pernambucana de Águas e Clima (Apac) é de mais chuva para o Sertão. Ontem, o município de Triunfo foi o que registrou o maior índice pluviométrico de todo o Estado: foram mais de 130 milímetros em 24 horas. Hoje, as chuvas previstas para a região são de intensidade moderada a forte.

Os comentários abaixo não expressam a opinião do blog Ouricuri em Foco e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.