Home Política Câmara aprova isenção de PIS/Cofins no diesel em projeto de reoneração

Câmara aprova isenção de PIS/Cofins no diesel em projeto de reoneração

0
"Quero saber de onde sairá esse dinheiro", afirmou o ministro Marun, que é a favor da retirada do zeramento da PIS-Cofins do projeto da reoneração - Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Estadão Conteúdo


A Câmara dos Deputados aprovou na noite desta quarta-feira (23) em votação simbólica, o texto-base do projeto que reduz a desoneração da folha de pagamento para alguns setores da economia. A proposta aprovada também prevê zerar, até o final deste ano, a PIS-Cofins que incide sobre o óleo diesel. A medida foi incluída de ontem para hoje no texto como um aceno aos caminhoneiros, que paralisaram as atividades em todo o País em protesto contra a alta no preço dos combustíveis.

Desde 2014, 56 setores da economia tinham desoneração de alguns impostos na folha. O texto aprovado hoje na Câmara prevê que a metade desses setores perderão o benefício logo após a sanção do projeto. A outra metade manterá a desoneração pelos próximos três anos, só perdendo o benefício a partir de em janeiro de 2021, entre eles, empresas do transporte rodoviário, ferroviário e metroviário de passageiros; construção civil; confecção/vestuário; telemarketing e varejo de calçados.

Relator do projeto, o deputado Orlando Silva (PC do B-MA), que é da oposição, afirmou que os recursos obtidos com a reoneração imediata desses 28 setores vão compensar o zeramento da alíquota do PIS-Cofins sobre o diesel. “A reoneração compensa o PIS-Cofins”, disse. A declaração contraria tese da equipe econômica, para quem o fim da desoneração compensaria a decisão anunciada pelo governo de zerar a Cide sobre o diesel.

O relator, no entanto, não quis se comprometer com valores dos impactos financeiros do zeramento do PIS-Cofins sobre o diesel. Para o parlamentar paulista, o cálculo desse impacto cabe ao Ministério da Fazenda, que tem “margem” para localizar no Orçamento de onde tirar esses recursos. “Os relatórios bimestrais sinalizam receitas acima do esperado que poderão ser usadas”, disse.

Silva afirmou que, pelos cálculos da assessoria técnica da Câmara, a renúncia com a medida do PIS-Cofins sobre diesel é estimada em R$ 3 bilhões, o que seria compensado por uma estimativa de arrecadação também de R$ 3 bilhões com a reoneração. O valor da renúncia prevista pela assessoria é menor do que os R$ 10 bilhões a R$ 15 bilhões previstos pelo ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun (MDB).

“Quero saber de onde sairá esse dinheiro”, afirmou o ministro, que foi até a Câmara para tentar negociar a retirada do zeramento da PIS-Cofins do projeto da reoneração. Para Marun, a “decisão emergencial” para atender os caminhoneiros já foi tomada pela Petrobras, que reduzir em 10%, o equivalente a R$ 0,2335, o valor médio do diesel comercializado em suas refinarias. As próximas decisões, disse, deveriam ser tomadas com “cuidado” e “responsabilidade”.

Leia também…

Polícia deflagra operação para desarticular grupos criminosos no Sertão de PE

Submetralhadora que matou vereadora Marielle sumiu da Polícia Federal

Após acordo com o Congresso, Temer vai reduzir imposto para frear alta dos combustíveis no País

Caminhoneiros bloqueiam BR-316 em protesto contra aumento nos combustíveis

PT terá ato no Recife para lançamento da pré-candidatura de Lula

STF impõe nova condenação a Maluf, por falsidade ideológica

ONU rejeita pedido de Lula para sair da prisão

Mensalão mineiro: TJ-MG decreta prisão de Eduardo Azeredo

O próprio Humberto lançou candidatura de Marília, diz Luciano Duque

Marília é destaque na coluna de política do jornal Valor Econômico

Em ano de reeleição, Paulo Câmara tira R$ 1 milhão da segurança pública para colocar no FEM

Os comentários abaixo não expressam a opinião do blog Ouricuri em Foco e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.