Entretenimento Notícias

Casa Galeria Galpão é o endereço das artes visuais, fotografia, design e moda no FIG 2019

Compartilhe:

Espaço vai contar com exposições, performances e intervenções artísticas, mas programação se espalha pela cidade, ocupando espaços públicos

Um dos mais relevantes diferenciais do Festival de Inverno de Garanhuns é a diversidade de linguagens artísticas contempladas em sua programação, que atrai públicos distintos aos polos não-musicais do FIG. No campo das artes visuais, fotografia, design e moda, a Casa Galeria Galpão é o endereço oficial para exposições, performances, rodas de conversa e intervenções artísticas. Neste ano, a programação no espaço começa no dia 20 de julho, com o desfile da ação “Aladê – O Brilho do Carnava”l, e segue até o dia 27, com 15 projetos que ficarão em cartaz para apreciação dos visitantes.

Entre as exposições que ficarão no equipamento estão “Bauhaus por CESAR School: do analógico ao digital”, que busca celebrar o centenário da escola de design Bauhaus; “Os trilhos de Olga”, da artista Bruna Texeira; e “Itá”, do fotógrafo Iezu Kaeru. Porém, um dos destaques da programação de Artes Visuais deste ano é a grande quantidade de intervenções pelas ruas de Garanhuns.

“Nossa seleção de projetos vem pensando muito na diversidade de suportes e conceitos. Retomar as ruas entra nessa proposta e é importante para trazer o público da cidade para essa interação com os artistas”, explica o coordenador de Artes Visuais da Secult/Fundarpe, Márcio Almeida.

Andar pelas ruas da cidade pode resultar em boas surpresas. Quem passar pelo Relógio das Flores, por exemplo, vai conferir a instalação “Big – O Beija-flor invade Garanhuns”, da alagoana Janine Toledo. Já no centro da cidade, os transeuntes poderão ser interpelados pela ação “Que padrão é esse?”, que põe em xeque os padrões de beleza da moda e poderá ter como resultado uma exposição na Galeria Galpão. Há ainda chances de moradores e visitantes de Garanhuns serem capturados pelo projeto “Fotografia Lambe-Lambe: Retrato e Identidade”, de Luciana Padilha.

Outras exposições, como “70 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos”, do Coletivo Mutirão, ocuparão não só as ruas da cidade, como também a Galeria Galpão. O equipamento ainda abrirá espaço para mercados de moda e design, como o “VozDelas” e ações interativas como “Cidade de Plástico”, de João Zarai.

Confira os projetos em cartaz na Casa Galeria Galpão neste ano:

– Fotografia Lambe-Lambe: Retrato e Identidade | Luciana Padilha
– Mude o mesmo | Cecília da Rocha Pessôa e Renata Garcia Wanderley
– Que padrão é esse? | Natália Nery e Raniele Duarte
– Big (O Beija-Flor Invade Garanhuns) | Jeanine Toledo
– Cidade de Plástico | João Zarai
– Coeviacá e o Nascimento das Deusas | Felipe Correia de Lima
– Olhares Negrxs sobre a Jurema Sagrada | Rennan Peixe
– Até a Próxima Estação | Camila de Lima Cantil
– O Colecionador de Pedras | Pedro Henrique Torquato
– Itá | Iezu Kaeru
– Bauhaus por CESAR School: do analógico ao digital | Janaína Branco
– VozDelas | Sara Régia e Morgana Oliveira
– Aladê – O Brilho do Carnaval para a vida | Cristiano Brito
– Lambe-Música
– Dardo | Marcela Lins e Gulherme Benzaquen
– Os Trilhos de Olga | Bruna Teixeira
– Distorções Meridionais | Diogo Barros, Bruno Melo e Vitor Falco
– 70 Anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos | Mutirão

Serviço
Casa Galeria Galpão
Av. Rui Barbosa, 391 – Heliópolis – Garanhuns – PE
20 a 27 de julho, das 16h às 21h
Acesso gratuito

Assessoria de Comunicação

Leia também: