Pernambuco

Deslizamentos de terra e alagamentos causam mortes e transtornos no Grande Recife

Compartilhe:

Mais três pessoas morreram soterradas na manhã desta segunda-feira (30) em uma tragédia relacionadas às chuvas que atingem a Região Metropolitana do Recife (RMR) desde a madrugada desta seguda-feira. As vítimas foram identificadas como Alexandra de Moraes, 36 anos; o filho dela, João Vitor de Moraes, de sete anos e a sobrinha, Bárbara de Moraes, de 23 anos.

Os corpos de mãe e filho foram resgatados pelo Corpo de Bombeiros. De acordo com as primeiras informações, a jovem teria sido socorrida ainda não com vida e morrido em seguida. O deslizamento de uma barreira atingiu a casa onde elas estavam, na 1ª Travessa da Rua Amanhecer, em Águas Compridas, Olinda. O Corpo de Bombeiros foi acionado pelos moradores da área por meio do telefone 193, por volta das 7h. Três viaturas de busca e salvamento foram deslocadas para a área e continuam no local a procura de possíveis novas vítimas.

Mais cedo, uma menina de quatros morreu vítima de um deslizamento de terra na comunidade do Passarinho, na divisa entre o Recife e Olinda. A vítima foi resgatada pelo Corpo de Bombeiros por volta das 5h30 desta segunda-feira. De acordo com a Defesa Civil do Recife, o deslizamento ocorreu por conta de uma construção irregular construída acima da residência onde a criança morava com a família. A Apac emitiu na madrugada de hoje um alerta de chuvas fortes, que devem continuar por até 24 horas.

O diretor da Defesa Civil do Recife, o coronel Cassio Sinomar, está no local onde houve a morte. “A mãe está bastante abalada, quem não ficaria ao perder um filho? Infelizmente uma construção irregular ocasionou isso. É algo que a gente sempre prega: não construam sem orientação técnica”, lamentou. Ele também justificou o deslizamento pela grande quantidade de chuvas. “Foram mais de 200 milímetros de água. Peço a população que mora em área de risco para sair da sua casa e ir para uma área segura”.

Já foram registrados mais de 15 deslizamentos de barreira. “Mas temos muitas outras que precisamos confirmas. Até o momento, temos apenas esse óbito aqui”. De acordo com ele, todos os agentes e técnicos da equipe da Defesa Civil estão nas ruas. “A população deve entrar em contato com a Defesa Civil, mas a primeira coisa a fazer é deixar sua residência e ir para um local seguro”.

As equipes da Defesa Civil estão de plantão e atendem no telefone 0800 081 3400.

Túnel do Pina fechado
O túnel do Pina está fechado e vários carros estão voltando na contramão na Av. DOmingos Ferreira, já que carros pequenos não conseguem passar pela via, por conta dos alagamentos.

Faculdades e escolas suspendem aulas
Por conta das chuvas, a Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) e a Universidade Católica de Pernambuco (Unicap) cancelaram as aulas desta segunda-feira.

Uma árvore caiu na Avenida Santos Dumont, no bairro dos Aflltos, zona norte do Recife. Na Rua Conselheiro Nabuco, em Casa Amarela, outra árvore caiu e derrubou um poste de iluminação pública, interditando a via. Uma equipe da Companhia de Trânsito e Transportes Urbanos (CTTU) foi ao local. Em Beberibe, um poste de telefonia também foi derrubado.

Orla de Olinda cede
Parte do calçadão e da calçada da Orla de Olinda cedeu pela força das águas. O concreto invadiu a pista, que está totalmente alagada.

Confusões em Rio Doce
No Terminal de ônibus de Rio Doce, em Olinda, houve confusão entre a população. “A onda que o ônibus estava fazendo na rua, as pessoas vieram me agredir, porque as ondas estavam derrubando os portões das casas. A água está muito alta, chegou a entrar um metro de água dentro do coletivo, estamos recolhendo os ônibus, não dá para andar em Olinda”, lamentou o motorista de ônibus Isaac Lima, em entrevista à TV Clube.

Fonte: Diário de Pernambuco
Foto: Folha de Pernambuco

Leia também: