Vídeos

Em seu último comentário na rádio, Boechat comentou ‘sucessão de tragédias’; veja vídeo

https://www.youtube.com/embed/Abcec8XjI5A
Compartilhe:


O Povo com a Notícia


Em seu último comentário na rádio BandNews FM, na manhã desta segunda-feira (11), horas antes de morrer, o jornalista Ricardo Boechat falou sobre as tragédias do rompimento da barragem de Brumadinho (MG) e o incêndio no Ninho do Urubu, no Rio.

Citando a manchete do jornal O GLOBO desta segunda-feira, “Negligência e impunidade marcam tragédias no país”, Boechat criticou a falta de punição a responsáveis por desastres que ocorreram nos últimos anos, como a queda de um avião da TAM, o incêndio da Boate Kiss e enchentes em Santa Catarina e Rio.

Boechat morreu em um acidente de helicóptero no início da tarde desta segunda-feira, quando voltava de uma palestra em Campinas (SP). A aeronave caiu sobre um caminhão no kk 22 da Rodovia Anhanguera, próximo ao Rodoanel Mário Covas.

— A síntese desse levantamento feito pelo Globo é que as consequências não deram em nada. Esse é o ponto que une todas essas tragédias — disse o jornalista. — A impunidade é o que rege, o que comanda as orquestras das tragédias nacionais.

Ao longo do comentário de 11 minutos, retransmitido no programa “Café com Jornal”, da TV Band, Boechat cobra a responsabilização daqueles que considera envolvidos na tragédia de Brumadinho: a Vale, os órgãos de fiscalização e a Justiça, por não dar punições adequadas.

 É preciso que as ações sejam mais rápidas no campo policial no campo do Ministério Público para que não fique no oba-oba, depois apoiado pelo esquecimento, pela nossa velha tradição de deixar para lá e tocar adiante, não produzir manchetes como essa toda semana: negligência e impunidade.

Leia também: