Notícias Política

Em vídeo, Onyx diz que reforma da Previdência vai fazer Brasil ‘voltar a crescer’

O governo Bolsonaro é o 1º a separar a assistência da previdência “para dar clareza e transparência” para as pessoas.

Em vídeo divulgado pelo Palácio do Planalto, o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, afirma que a proposta da reforma da Previdência, que tramita atualmente na Câmara dos Deputados, tem como objetivo “fazer o governo brasileiro poder fazer o Brasil voltar a crescer e ter emprego“. Segundo ele, o governo Bolsonaro é o 1º a separar a assistência da previdência “para dar clareza e transparência” para as pessoas.

A Nova Previdência, além de reorganizar e cuidar da Previdência brasileira, ou seja, as pessoas poderem receber sua pensão, sua aposentadoria em dia, ter 1 plano seguro. O nosso governo é o 1º que separou a assistência da previdência para dar clareza e transparência, pra dar clareza e transparência para as pessoas. Criamos 1 novo sistema, mas tudo isso tem só 1 objetivo: fazer o governo brasileiro poder fazer o Brasil voltar a crescer e aí ter emprego, renda para as pessoas. As pessoas viverem mais seguras no Brasil. Ou seja, todo o esforço do governo é para os brasileiros poderem viver melhor“, disse.

Confira a íntegra do vídeo:

TRAMITAÇÃO NA CÂMARA

Aliados do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), fizeram 1 cronograma indicando que a tramitação da reforma da Previdência na Câmara deve prolongar-se até setembro de 2019. As informações são do jornal Folha de S.Paulo.

O deputado Pedro Paulo (DEM-RJ), 1 dos cotados para relatar a proposta na comissão especial, montou 1 calendário com a ajuda de técnicos da liderança do partido. Nela, a previsão é que a PEC (Proposta de Emenda à Constituição) só tenha o aval definitivo do Congresso Nacional –ou seja, passe pela Câmara e pelo Senado– em dezembro deste ano.

De acordo com a Folha, também foi considerado 1 cenário mais otimista, onde a reforma poderia ser aprovada em no plenário da Câmara já em julho, antes do recesso, para ser enviada ao Senado. Mas, para isso, é necessário que o projeto seja aprovado na CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) na próxima 3ª feira (16.abr.2019) e após isso, tenha tramitação acelerada na comissão especial, em até 1 mês.

Em todas as hipóteses que o calendário propõe, é previsto ao menos 2 meses e meio até que o Senado aprove a PEC na CCJ, na comissão especial e no plenário.

Leia também: