Educação Notícias

Escolas de Pernambuco são selecionadas no estudo Excelência com Equidade no Ensino Médio; quatro estão localizadas no Sertão

Compartilhe:

Pernambuco é o segundo estado com o maior número de escolas contempladas no estudo Excelência com Equidade no Ensino Médio: a dificuldade das redes de ensino para dar um suporte efetivo às escolas, realizado por Fundação Lemann, Interdisciplinaridade e Evidências no Debate Educacional (Iede), Instituto Unibanco e Itaú BBA. Com 14 escolas, Pernambuco fica atrás apenas do Ceará, que concentra 55 das 100 unidades que atingiram os critérios de qualidade da pesquisa.

O objetivo do estudo foi identificar estratégias e práticas comuns às escolas de ensino médio que atendem alunos com renda familiar de até 3 salários mínimos e conseguem bons resultados educacionais. No total, pelo nível socioeconômico dos alunos, 5.042 escolas públicas de ensino médio eram elegíveis. Dessas, 100 (2%) atingiram os indicadores propostos. Isto é, conquistaram bons resultados na Prova Brasil e no Enem 2017, além de taxa de aprovação mínima de 95%. Depois de Ceará e Pernambuco, os estados que mais se destacam são Goiás e Espírito Santo, com 7 escolas cada. É importante ressaltar que, das 100 escolas, 82 são de tempo integral.

Entre as 14 escolas pernambucanas selecionadas, cinco estão localizadas na Região Metropolitana do Recife (RMR), quatro na Zona da Mata, quatro no Sertão e uma no Agreste. Esse é o nono relatório de pesquisa. O trabalho teve início, em 2012, com o mapeamento das escolas públicas brasileiras que atendiam alunos de baixo nível socioeconômico e conseguiam boa aprendizagem nos anos iniciais do ensino fundamental. A partir de 2015, passou-se a pesquisar também os bons resultados nos anos finais do ensino fundamental. Desta vez, o foco é a última etapa da Educação Básica: o ensino médio.

Em razão dos resultados, Ceará, Pernambuco, Goiás e Espírito Santo foram escolhidos para a realização da pesquisa de campo (qualitativa). Os pesquisadores visitaram duas escolas em cada um desses estados, além de uma escola com indicadores na média, para comparação.

A partir da análise, foi possível identificar ações que contribuem para os bons resultados e que podem servir de inspiração a outras unidades e redes. Como, por exemplo: tomadas de decisão baseadas em evidências; foco no uso de dados e no monitoramento contínuo da aprendizagem dos alunos, com utilização de sistemas integrados de gestão educacional; parceria entre professores e alunos, com escuta ativa e quebra do tabu da hierarquia; boa interlocução dentro e fora da escola (pais, comunidade e Secretaria de Educação); estratégias pedagógicas que conversam com a realidade dos alunos e atendem às diferentes necessidades de aprendizagem, com mescla de métodos de fixação (exercícios e simulados) e métodos que estimulam a criatividade e o protagonismo (feira de ciências, atividades esportivas, tutoria entre alunos e aulas eletivas criadas por eles).

No entanto, é preciso ressaltar que mesmo as escolas selecionadas têm desafios consideráveis: nenhuma atingiu 600 pontos de média nas avaliações objetivas do Enem, uma pontuação longe de ser considerada alta, e nenhuma consegue garantir 70% dos alunos com aprendizado adequado em língua portuguesa e matemática, segundo o Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb), afirma Ernesto Martins Faria, diretor executivo do Iede e pesquisador responsável pelo estudo.

Confira os nomes das escolas:

– Agreste

Escola Técnica Estadual Professor José Luiz de Mendonça (Gravatá)

– Região Metropolitana do Recife (RMR)

Escola Técnica Estadual Cícero Dias (Recife)
Escola de Referência em Ensino Médio Olinto Victor (Recife)
Escola Técnica Estadual Professor Agamenon Magalhães (Recife)
Escola Técnica Estadual Professor Lucio Ávila Pessoa (Recife)
Escola Técnica Estadual José Alencar Gomes da Silva (Paulista)

– Sertão

Escola de Referência em Ensino Médio (Salgueiro)
Escola de Referência em Ensino Médio Oliveira Lima (São José do Egito)
Escola de Referência em Ensino Médio Aura Sampaio Parente Muniz (Salgueiro)
Escola Estadual de Aplicação Professora Vande de Souza Ferreira (Petrolina)

– Zona da Mata Norte

Escola Técnica Estadual Miguel Arraes de Alencar (Timbaúba)
Escola de Referência em Ensino Médio Frei Orlando (Itambé)
Escola de Referência em Ensino Médio Professora Benedita de Morais Guerra (Macaparana)
Escola de Referência em Ensino Médio Professor Antônio José Barbosa dos Santos (Timbaúba)

Por Diário de Pernambuco

Leia também: