Entretenimento Notícias

Festival de Cinema de Triunfo anuncia vencedores e vencedoras e fortalece a política cultural do Estado

Compartilhe:

 

Durante as exibições no Guarany, debates ao ar livre, seminários e oficinas, o evento contou com público superior a três mil pessoas

            Nesta semana, Triunfo viveu um êxtase da cultura com a exibição de diversos filmes no 12º Festival de Cinema de Triunfo, que teve início na última segunda-feira (5) e seguiu até este sábado (10) com uma intensa programação envolvendo exibição de filmes, debates, seminários e oficinas. Nas mostras competitivas, com sessões no Cineteatro Guarany – ou Theatro Cinema Guarany, como originalmente foi batizado – 33 filmes concorreram ao Troféu Caretas e às premiações em dinheiro, que foram anunciadas neste último dia de festival. Realizado pelo Governo de Pernambuco, através da Secretaria de Cultura e da Fundarpe, o evento recebeu mais de três mil pessoas durante as atividades, além de 19 escolas da região. Clique aqui e confira as fotos da cobertura.

            Triunfo recebeu a presença de diversas autoridades do Governo de Pernambuco, como a governadora em exercício, Luciana Santos; o secretário estadual de Cultura, Gilberto Freyre Neto; o presidente da Fundarpe, Marcelo Canuto; o secretário de Meio Ambiente e Sustentabilidade, José Bertotti; o presidente da Companhia Editora de Pernambuco (Cepe) – que instalou a inédita Tenda Literária na cidade durante o festival; e o deputado estadual Waldemar Borges.

            “O município de Triunfo é um charme, um ponto turístico importante pela sua paisagem e beleza. E um festival de cinema como esse agrega muito à alma e ao espírito criativo que tem o povo sertanejo. A combinação interessante do festival é, para além da exibição dos filmes, a troca de ideia, o debate, a reflexão, ainda mais num momento como esse que estamos vivendo de tanta negação do diálogo. Acredito que com a realização deste eveno, o Governo de Pernambuco faz um contraponto importante”, disse Luciana Santos.

            “O audiovisual emprega milhares de funcionários e leva o nome de Pernambuco para o mundo. Esse é um dos 15 festivais de cinema que acontecem no estado, realizados através de uma cooperativa enorme de parceiros e um corpo técnico bastante qualificado. Esse festival já tem uma perna em Serra Talhada, e esse ano tivemos o sucesso da parceria com a Cepe. Vamos agora trabalhar para que no próximo ano tenhamos uma dinâmica um pouco mais ativa”, disse Gilberto Freyre Neto durante a solenidade de encerramento.

            “Foram seis dias de exibições com debates, seminários, e exibição de obras com temas bastante necessários. Um festival desse tamanho não é possível sem uma equipe competente, e queria deixar meu agradecimento a todos os que estavam envolvidos. E quero agradecer também aos realizadores e a todo mundo da cidade de Triunfo que recebe tão bem esse festival”, comemorou Luciana Poncioni, coordenadora do Audiovisual da Secult-PE e do Festival de Cinema de Triunfo.

            Para Gilberto Freyre Neto, diante do atual cenário da política cultural a nível nacional, os estados vão passar a ter um protagonismo maior. “E certamente Pernambuco, no campo da cultura de forma mais genérica, ele tem um protagonismo muito forte e que não é de hoje. No audiovisual, que é uma indústria que meche com outras tantas cadeias, a gente começa a ter resultados muito fortes e qualificados que nos colocam hoje como protagonistas”, destaca o secretário de Cultura de Pernambuco.

            Isso gera oportunidades que faz com que um dos homenageados do 12º Festival de Cinema de Triunfo, Kleber Mendonça Filho, esteja constantemente recebendo prêmios com produtos produzidos com recursos pernambucanos, como o Funcultura, em eventos internacionais representativos. “Não apenas o Kleber. Nós temos um grande conjunto de realizadores do estado que passam a ter o reconhecimento pela grande qualidade na sua produção”, reforçou Gilberto Freyre Neto.

            Jornalista, crítico de cinema, produtor e diretor, Kleber Mendonça Filho acumula mais de 100 prêmios nacionais e internacionais.    Em algumas semanas, Kleber Mendonça Filho, ao lado do também diretor Juliano Dornelles, lança o filme Bacurau, aclamado no Festival de Cinema de Cannes.

            “Esse é um momento muito particular do Brasil, e eu como cidadão brasileiro não esperava estar vivendo isso. Mas existe uma coisa boa que é reconhecer Pernambuco ainda como um lugar que eu me sinta protegido. Isso pode parecer uma coisa pequena, mas é muito significativa pra mim. Obrigado por essa homenagem”, disse o cineasta antes de receber o Troféu Careta das mãos de Luciana Santos.

            Além da premiação, neste sábado (10) o Festival de Cinema de Triunfo realizou um debate com os realizadores que exibiram seus filmes na sexta-feira (9); a Mostra Absurda, uma seleção com filmes nordestinos não-realista em busca de abrir uma janela de diálogo entre as obras que ainda encontram uma dificuldade de espaço específico para discussão. E a roda de conversa “Cinema não realista”, no Guarany, com André Antônio (curador, doutor em Comunicação e Cultura pela UFRJ), Manuela Andrade (curadora e produtora cultural) e as realizadoras Ayla de Oliveira (PE), Dhiovana Sarmento (CE), e Lilit (PE) – com mediação de Jorge Clésio.

            Cineteatro Guarany (Theatro Cinema Guarany) – Uma das atuais políticas públicas de incentivo à preservação do equipamento cultural e promovidas pela Secult-PE/Fundarpe, é a ocupação do espaço cultural com atividades contínuas. Através do projeto Cine de Rua, realizado pela Secretaria de Cultura de Pernambuco, o espaço tem recebido uma programação semanal com diversos filmes, além de eventos importantes como o Festival de Cinema Francês Varilux, realizado em abril deste ano.

            “Um aparelho cultural tem vida curta quando está sem uso. É a utilização do espaço que faz com que ele seja preservado, que a população faça a sua defesa, que receba investimentos do prefeito ou do governador, a dedicação dos secretários e presidentes das instituições, e principalmente as associações e empresariado local. Precisamos de uma ação cooperada com outros entes para construir novas formas de gestão desses espaços”, ressaltou o secretário de Cultura de Pernambuco.

            Confira o resultado dos vencedores do 12º Festival de Cinema de Triunfo:

 

TROFÉU CINECLUBISTA

Melhor filme para reflexão

Opará, de Graci Guarani

Menção Honrosa

Desyrrê (PE) e Deus Te Dê Boa Sorte, de Jacqueline Farias

MENÇÕES HONROSAS DA ABD/APECI:

Enraizada, de Tiago Delácio

Macunã, de Carol Correia

Deus te dê boa sorte, de Jacqueline Farias

Opará – Moradia dos nossos ancestrais, de Graciela Guarani

Negrum3, de Diego Paulinho

Mesmo com tanta agonia, de Alice Andrade Drummond

Rebento, de Vinicius Elizários

Quanto craude no meu sovaco, Duda Menezes e Fefa Lins

O grande amor de um lobo, de Kennel Rogis e Adrianderson Barabosa

Quando a chuva vem, de Jefferson de Andrade

Guaxuma, de Nara Normande

Codinome Breno, de Manoel Batista

Quitéria, de Tiago A. Neves

Dessyrê, direção coletiva

#TurismoSelvagem, direção coletiva

Solitude, Coletivo do Interior

PRÊMIOS DO JÚRI POPULAR

DE CURTA-METRAGEM

Melhor curta-metragem nacional

NEGRUM3, de Diego Paulino (SP)

Melhor curta-metragem infanto-juvenil

Um Beijo para Sofia, de Calebe Jangrossi

Melhor curta-metragem pernambucano

Nova Iorque, de Leo Tabosa

Melhor curta-metragem dos sertões

Desyrrê, Direção Coletiva Documentando

Melhor Longa-metragem Nacional

Salustianos, de Tiago Leitão

PRÊMIOS DO JÚRI OFICIAL

CURTA-METRAGEM

Melhor curta-metragem nacional

Guaxuma, de Nara Normande (PE)

Melhor curta-metragem pernambucano

Mucunã, de Carol Correia

Melhor curta-metragem infanto-juvenil

O Grande amor de um Lobo, de Kennel Rogis e Adrianderson Barbosa

Melhor curta-metragem os Sertões

Opára: morada dos nossos ancestrais, de Graciela Guarani

Melhor Direção

Graciela Guarani, por Opará: mora dos nossos ancestrais

Melhor Fotografia

Bruno Cabus, pelo filme Enraizada

Melhor Montagem

Amanda Beça, pelo filme NEGRUM3

Melhor Roteiro

Bob Yang & Frederico Evaristo, pelo filme Cinco Minutos por Dia

Melhor Produção

Lívia de Melo pelo filme Guaxuma

Melhor Direção de Arte

Mayara Del Pino, pelo filme NEGRUM3

Melhor Trilha Sonora

Gean Ramos, pelo filme Deus te dê Boa Sorte

Melhor Som

Adam Matchulat pelo filme O Menino que Morava no Som

Melhor Ator

Juan Calado, pelo filme Nova Iorque

Melhor Atriz

Marcelia Cartaxo, pelo filme Nova Iorque

PRÊMIOS DO JÚRI OFICIAL LONGA-METRAGEM

Troféu Fernando Spencer para Tico, pelo filme Madrigal para um Poeta Vivo

Melhor Filme

Madrigal para um poeta Vivo, de Adriana Barbosa e Bruno Melo Castanho

Melhor Ator

Daniel Porpino, pelo filme Desvio

Melhor Atriz

Renata Guida, pelo filme O que Resta

Melhor Som

Bernardo Uzeda, pelo filme Eduardo Galeano – Vagamundo

Melhor Trilha Sonora:

Salustianos de Tiago Leitão

Melhor Direção de Arte

Shiko, pelo filme Desvio

Melhor Produção

Drica Soares e Ana Dinniz, pelo filme Desvio

Melhor Roteiro

Adriana Barbosa, Bruno Melo Castanho e Gabriel Campos, pelo filme Madrigal para um Poeta Vivo

Melhor Montagem

Adriana Barbosa e Bruno Melo Castanho, pelo filme Madrigal para um Poeta Vivo

Melhor Fotografia

Vinícius Bruno, pelo filme O que Resta

Melhor Direção

Adriana Barbosa e Bruno Melo Castanho, pelo filme Madrigal para um Poeta Vivo

 

Assessoria de Comunicação

Leia também: