Início Educação Governo de Pernambuco nega data vazada com retorno das aulas em 1º...

Governo de Pernambuco nega data vazada com retorno das aulas em 1º de setembro

106
0
O Governo de Pernambuco negou, na manhã desta quarta-feira (5), uma possível data de retorno das aulas presenciais no Estado. Segundo imagens que foram vazadas, a primeira etapa do retorno das atividades presenciais aconteceria no dia 1° de setembro com a educação básica. A segunda etapa aconteceria no dia 8 de setembro; a terceira no dia 15 do mesmo mês, e a quarta no dia 22. Por determinação do governador Paulo Câmara (PSB), as instituições de ensino permanecerão fechadas até o dia 15 de agosto.

Ainda de acordo com o vazamento, estariam inseridas nestas etapas creches, pré-escola, ensino fundamental (1°, 2°, 3°, 4°, 5°, 6°, 7°, 8°, 9° ano), ensino médio (EJA, correção de fluxo, 3° ano, 4° ano normal médio, EJA – Módulo III, Travessia – Módulo IV, 1° ano). Na primeira etapa, 17,52% dos estudantes voltariam às aulas presenciais. Na segunda, o total de alunos seria de 34,79%. Na terceira, 61,12%. Por fim, a quarta etapa contaria com 100% dos estudantes.

Em resposta, a Secretaria de Educação de Pernambuco informou que essas datas são apenas estudos, e que não há uma definição para o retorno das aulas no Estado. A secretaria disse também que ainda não há uma data de divulgação do protocolo de retorno das aulas. Entre os dias 15 e 24 de julho o governo disponibilizou uma consulta pública sobre as regras. A consulta teve 21.463 contribuições. Durante os dez dias, qualquer pessoa da sociedade pôde manifestar sua opinião, crítica ou sugestão.

Por meio de nota, o governo Estadual informou que “não existe ainda a definição das datas para início do processo de retomada das aulas presenciais nas escolas”, e que, as imagens divulgadas da apresentação do secretário Fred Amâncio “mostram uma das versões de cronograma, sem que isso signifique que essas são as datas definidas. Existem outras versões com datas e cronogramas diferentes, todas ainda em discussão”.

Leia a íntegra da nota

“Desde o dia 1º de junho, o Governo de Pernambuco vem colocando em prática o Plano de Convivência com a Covid-19. A flexibilização das atividades econômicas e sociais com novos protocolos de higiene, distanciamento e comunicação tem sido feita de maneira gradativa e responsável com observação diária dos números da epidemia no estado. A construção de um protocolo de retomada das aulas presenciais na educação não tem sido diferente. As regras a serem observadas já foram divulgadas e o calendário de retorno permanece em aberto. Não existe ainda a definição das data para início do processo de retomada das aulas presenciais nas escolas. As imagens da apresentação do secretário de educação, Fred Amâncio, para os prefeitos mostram uma das versões de cronograma, sem que isso signifique que essas são as datas definidas. Existem outras versões com datas e cronogramas diferentes, todas ainda em discussão”.
Aulas suspensas até agosto

No último dia 31 de julho o governo de Pernambuco prorrogou pela quarta vez o decreto que suspende as aulas presenciais nas instituições de ensino do Estado. Com a prorrogação, as atividades presenciais ficam proibidas até o dia 15 de agosto.

O decreto nº 48.810 foi publicado no dia 18 de março, inicialmente sem validade. Depois, o governo estipulou o prazo até o dia 30 de abril. Em seguida, até 30 de junho. Neste dia, o prazo foi prorrogado até o dia 31 de julho.
Donos de escolas particulares querem uma resposta rápida em relação ao cronograma

Os donos de instituições privadas de Pernambuco que antes defendiam o retorno a partir do dia 17 de agosto, agora não falam mas em uma data, mas querem uma resposta rápida do governo do Estado em relação ao cronograma. “A data é fundamental para nós. Mas não estamos mais sugerindo a data. Nós queremos uma definição dela pelo poder público competente”, disse o presidente do Sindicato das Escolas Particulares de Pernambuco, José Ricardo Diniz.

Em resposta aos prefeitos pernambucanos que defendem uma retomada das aulas presenciais apenas em 2021, Diniz afirmou que os donos das escolas particulares são “veementemente contrários a essa tese”, e que estão preparados para a volta das atividades.

O presidente do Sindicato das Escolas Particulares ainda contou que, a partir deste momento, defende cronogramas diferentes para retorno das instituições privadas e públicas.”A partir desse momento nós defendemos sim. Nós tentamos ao máximo, ao extremo, mas quando a gente percebe que há respostas bem diversas daquilo que nós entendemos e defendemos aí muda de figura. A partir desse momento nós entendemos que as autoridades têm que pensar em calendários diferentes”, contou.
Universidades retomam aulas à distância

No próximo dia 17 de agosto, as Universidades Federais de Pernambuco (UFPE), Rural de Pernambuco (UFRPE) e do Agreste de Pernambuco (UFAPE) retomarão as aulas das graduações à distância. As aulas presenciais só devem voltar em 2021 nessas instituições. Além disso, 15 dos 16 câmpus do Instituto Federal de Pernambuco (IFPE) pretendem voltar a funcionar, também com aulas remotas.

A Universidade de Pernambuco (UPE) terá semestre extra com aulas à distância a partir do dia 8 de setembro.

´Por Jornal do Commercio

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui