Início Site Página 212

Boletim desta quinta-feira (09/04): Pernambuco tem 555 casos e 56 mortes pelo Covid-19

0

 

Boletim da manhã de quinta-feira (09/04): Pernambuco tem 10 novas mortes e mais 154 novos casos de coronavírus. Total de infectados chega a 555

Em novo balanço divulgado pela Secretaria de Saúde de Pernambuco (SES-PE), nesta quinta-feira (9), Pernambuco conta com 154 novos casos de coronavírus. Com isso, o Estado totaliza 555 casos confirmados da doença. Ainda foram confirmados mais 10 óbitos (4 mulheres e 6 homens, com idades entre 49 e 93 anos), ocorridos entre os dias 5 e 7 de abril. Com isso, somam 56 mortes pela Covid-19.

Assim, Pernambuco registrou novo recorde de resultados liberados da covid-19 em um único dia. Com mais 154 casos, superou o número dessa terça-feira (7), quando foram confirmados 129 casos entre a segunda e terça-feira. Sobre o recorde da terça, a SES-PE explicou que o aumento do número dos casos foi causado pela ampliação da testagem do novo vírus no Estado e que, muitos dos laboratórios privados não processam exames nos finais de semana, ou seja, muitos desses casos foram acumulados ao longo do final de semana.

O governador Paulo Câmara (PSB) endereçou aos pernambucanos o pedido de que não viajem na Semana Santa. A declaração foi dada nesta quinta-feira (9), véspera de feriado.
Por Jornal do Commercio

Remédio de piolho pode matar o novo coronavírus em 48 horas, diz estudo

0

Um remédio usado comumente contra parasitas, a ivermectina, poderia ser empregado com eficácia também no combate à Covid-19. Um estudo feito na Austrália por pesquisadores da Universidade de Melbourne e do Hospital Royal Melbourne in vitro mostrou que o medicamento é capaz de matar o novo coronavírus em 48 horas.

Instituições de todo o mundo testam a eficácia de diversas drogas, já usadas para outras doenças, no combate ao novo coronavírus. Entre elas estão a cloroquina, alguns remédios usados no tratamento da aids e, agora, a ivermectina.

“Nos casos como este, de uma nova epidemia, é muito difícil criarmos uma droga inteiramente nova”, explica Fernando Bozza, infectologista da Fiocruz. “Uma das estratégias que usamos no mundo todo e tentar reposicionar alguma outra droga já conhecida Ou seja, testar sua eficácia na nova doença.”

A ivermectina é usada tradicionalmente como um remédio contra parasitas, como piolhos, mas já foi testada também contra dengue, zika, e H1N1. “Nós descobrimos que uma única dose consegue, essencialmente, remover todo o RNA viral (da covid-19) em 48 horas. Em 24 horas já há uma redução significativa”, explicou Kylie Wagstaff, principal autora do estudo.

A especialista ressaltou, no entanto, que o estudo foi feito in vitro, com células. Testes em seres humanos ainda são necessários. “A ivermectina é um remédio muito usado e considerado seguro”, disse. “Mas precisamos descobrir agora que dosagem seria mais eficaz em humanos. Este é o nosso próximo passo.”

Segundo Kylie, em uma pandemia como a atual, o uso de um remédio já conhecido e a forma mais rápida de se chegar a um tratamento eficaz. “Com não existe nenhum tratamento aprovado, se temos um composto que já está disponível em todo o mundo e se revela eficaz, isso pode ajudar as pessoas. Sendo realista, vai demorar ainda um tempo até conseguirmos uma vacina.”

Por Correio Braziliense

Advogado da Paraíba e defensor público é assassinado em tentativa de assalto em Pernambuco

0

O carro de Levi Borges, um Toyota SW4 SRV branco, está na frente do condomínio. A mala do carro está aberta e tem manchas de sangue na lataria do veículo. O local foi isolado.

O defensor público da Paraíba e advogado, Levi Borges de Lima, morreu após ser atingido por tiro no início da tarde desta quinta-feira (9) na saída de um condomínio na praia do Paiva, na cidade de Cabo de Santo Agostinho, em Pernambuco.

O crime aconteceu na portaria do imóvel e teria sido praticado por dois homens, que fugiram. As câmeras do condomínio apontam que o advogado chegava ao local no próprio carro, ao lado da esposa, quando foi rendido com uma arma na cabeça. Ele abriu a porta e desceu do veículo. Nesse momento, o criminoso atirou e ele caiu em frente ao portão de visitantes. O assassino teria tentado entrar no veículo, mas percebeu que havia outra pessoa dentro do carro, voltou e disparou novamente no advogado, que tinha acabado de levantar do chão. Em seguida, entra em um outro carro onde havia uma segunda pessoa esperando por ele.

A vítima foi levada com vida para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Barra de Jangada, onde morreu. O carro de Levi Borges, um Toyota SW4 SRV branco com placa da Paraíba, está na frente do condomínio Morada da Península. A mala do carro está aberta e tem manchas de sangue na lataria do veículo. O local foi isolado pela Polícia Civil.

No condomínio, as pessoas não querem falar sobre o assunto. Uma equipe de policiais civis do Cabo de Santo Agostinho está apurando o crime. Segundo a assessoria de imprensa da UPA, o corpo do advogado ainda está na unidade à espera do Instituto de Medicina Legal (IML).

A cena do crime segue preservada enquanto policiais se reúnem na área interna do condomínio Morada da Península com alguns moradores, representantes da Associação de Moradores do Paiva e seguranças privados.

Do lado de fora, não há aglomeração de pessoas. Apenas carros estacionados e alguns poucos curiosos passam pelo local. Segundo informações coletadas no local, várias pessoas que estavam no condomínio presenciaram o crime.

Policiais investigam as câmeras de segurança da rodovia privada Rota dos Coqueiros para identificar o carro onde estavam os suspeitos. Na hora do crime, o advogado ia visitar a filha, a juíza Andréa Rose Borges Cartaxo, que mora no condomínio.

O advogado era casado com a também juíza Mariza Borges de Lima. Em setembro do ano passado, Andréa recebeu da Assembleia Legislativa de Pernambuco o título honorífico de Cidadã Pernambucana. Ela é natural da Paraíba. Levi Borges era defensor público aposentado da Paraíba.

Por Diário de Pernambuco
Foto: Diário de Pernambuco e Portal WSCOM

Enfermeiras da cidade de Jatobá-PE relatam como foi o acidente que vitimou casal de jovens da cidade de Ouricuri-PE

Um acidente de carro ocorrido nesta quarta-feira (08) por volta das 17hs30 deixou duas pessoas mortas e outras quatro feridas, em Jatobá, Sertão de Pernambuco, próximo da entrada do Distrito de Volta do Moxotó.

As seis pessoas, sendo duas crianças, estavam em uma Hilux SW4, de cor branca e placa PDA-6490, que colidiu com o veículo Strada que tinha duas enfermeiras do município de Jatobá em seu interior. Após a colisão a Hilux SW4 capotou várias vezes e saiu da pista.

Nossa redação esteve em contato com as duas enfermeiras as quais nos passaram como ocorreu o acidente.

VEJA RELATO DAS ENFERMEIRAS

Por volta das 17hs20 ambas estavam no acostamento que dá acesso a entrada do Distrito de Volta do Moxotó, como estão à frente do controle da Pandemia que assola todo o País as mesmas acompanhavam os trabalhos de prevenção ao coronavírus.

Ainda no acostamento a condutora visualizou pelo retrovisor que a BR estava limpa, deu sinal e quando fazia a curva do nada veio a Hilux SW4 ao seu encontro colidindo na lateral dianteira do lado do motorista, vale lembrar que ambos os veículos estavam na mesma mão.

A Hilux perdeu o controle, capotou várias vezes e saiu da pista, as enfermeiras mesmo em meio ao desespero prontamente se dirigiram as vítimas e as socorreram. O homem que veio a óbito estava com o cinto o enforcando o qual foi cortado por uma das enfermeiras e logo após elas socorreram as duas crianças que estavam com vida.

Em seguida as mesmas acionaram todo aparato de veículos do Hospital Municipal, da Prefeitura de Jatobá e Polícia Militar, que rapidamente chegaram ao local e prosseguiram com o socorro médico.

O homem foi socorrido e levado para um hospital em Paulo Afonso (BA), enquanto a mulher foi levada para Arapiraca (AL), as crianças foram levadas para o Hospital de Itaparica, ao chegarem o atendimento foi unânime do zelador ao médico plantonista que prestaram todo apoio necessário.

Sobre as crianças, foi acionado o Conselho Tutelar, Assistência Social e a noite as mesmas foram levadas para a Cidade de Paulo Afonso, onde eram esperadas por seus avós que também estavam no veículo, mas felizmente sobreviveram.

As vítimas fatais FRANCISMARY LIMA SENA GOMES E FRANCISCO ABELVAN GOMES DA SILVA tratam-se do pai e da mãe das duas crianças, que, juntamente com dois idosos que seriam avós delas, sobreviveram.
.

Por  Portal Jatobá

Justiça pede explicações ao governo de PE sobre EPIs e afastamento de profissionais

0

Prédio da Justiça Federal em Pernambuco, no bairro do Jiquiá, no Recife — Foto: Marlon Costa/Pernambuco Press

Uma ação civil pública do Conselho Regional de Enfermagem de Pernambuco (Coren/PE) solicitou o fornecimento de Equipamentos de Proteção Individual à categoria e o afastamento de profissionais que façam parte dos grupos de risco do novo coronavírus. Diante disso, a Justiça Federal de Pernambuco deu um prazo de 72 horas, a partir da quarta (8), para que o governo de Pernambuco se pronuncie sobre as solicitações.

Entre os pedidos do Coren/PE estão o fornecimento de equipamentos como máscara de proteção respiratória e gorro ou touca para os profissionais que realizam procedimentos como aspiração traqueal, ventilação mecânica e ventilação manual. O Conselho também pede a distribuição de óculos ou protetor facial, avental ou capote e luvas.

Além do uso de EPIs, o Conselho também pede o afastamento de profissionais de enfermagem com 60 anos ou mais, gestantes, portadores de doença respiratória, cardíaca ou renal crônicas, portadores de tuberculose, hanseníase e outras doenças infecciosas crônicas, além de transplantados e portadores de outras doenças que possam representar risco durante a pandemia.

Os pedidos foram feitos a partir de denúncias de profissionais de enfermagem sobre a falta de EPIs e do não afastamento de profissionais dos grupos de risco.

Por meio de nota, o governo de Pernambuco informou que tem reforçado o envio de EPIs para 52 unidades da rede estadual. Na primeira semana de abril, 1,2 milhão de itens foram encaminhados a hospitais e postos de saúde. Os lotes entregues têm água sanitária, álcool em gel, capotes, gorros, sapatilhas, luvas, óculos cirúrgicos e máscaras.

O governo informou, ainda, ter feito a compra de 1 milhão de máscaras N95, de uso exclusivo de profissionais de saúde. Ao todo, 150 mil foram entregues pelos fornecedores. Na quarta (8), o poder executivo também anunciou um conjunto de ações para reforçar a produção de máscaras e outros EPIs pelo Polo de Confecções do Agreste.

O G1 procurou o poder executivo sobre o pedido de afastamento de profissionais de enfermagem que fazem parte dos grupos de risco, mas não obteve retorno até a última atualização desta reportagem.

Óbitos de técnicas de enfermagem

Duas técnicas de enfermagem que atuavam no Hospital Getúlio Vargas (HGV), na Zona Oeste do Recife, tiveram confirmação da Covid-19 e faleceram no sábado (4) e no domingo (5). De acordo com a Secretaria Estadual de Saúde, uma das mulheres estava de férias e outra não atuava diretamente no tratamento de pacientes com Síndrome Respiratória Aguda Grave.

Através da SES e do HGV, o governo do estado lamentou a morte das duas servidoras. Na segunda (6), o governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB), anunciou um projeto de lei para conceder pensão integral às famílias de servidores que morrerem com Covid-19 (veja vídeo acima).

Por G1 PE

Sem mercado consumidor, polo gesseiro do Araripe contabiliza queda de mais de 80% nas vendas

 

Empresas não veem solução de curto prazo, mesmo com linhas de crédito sendo oferecidas

O polo gesseiro, localizado no Araripe Pernambucano, que antes do início da pandemia do novo coronavírus ensaiava um crescimento na produção, agora sente os efeitos causados pela chegada da Covid-19 ao Brasil. O cenário otimista se modificou bruscamente devido à paralisação nas atividades do seu principal cliente, o setor da construção civil, especialmente nos mercados do Sul e Sudeste brasileiro. Agora, o polo gesseiro já amarga uma queda de mais de 80% nas vendas dos seus produtos, além de uma diminuição radical na sua mão de obra.

Sem uma perspectiva de curto prazo para a retomada das construções, as indústrias gesseiras têm vivido dias de incerteza sobre quais são as ações mais importantes para a manutenção dos empregos e o funcionamento das indústrias que empregam diretamente cerca de 2,5 mil funcionários, e outros 10 mil, indiretamente, em mais de cem fábricas de calcinação, produtos pré-moldados e mineração, segundo dados do Sindicato das Indústrias de Gesso do Estado de Pernambuco (Sindusgesso).

Como não existe mercado consumidor, os empresários acreditam que as linhas de crédito oferecidas pelo Governo Federal não resolvem o problema, pois caso as contratem, estarão contraindo mais uma dívida sem ter nenhuma expectativa de vendas dos produtos nos próximos meses. Por conta disto, a estimativa do sindicato é de que mais de 50% desta mão de obra já tenha sido demitida e que menos de 10% das empresas continuem em funcionamento.

Para Francisco Alves, diretor regional da Federação das Indústrias do Estado de Pernambuco (FIEPE) no Araripe, nos últimos dois anos as indústrias vinham melhorando seus processos produtivos para retomar o crescimento este ano. Segundo ele, todos os empresários estavam confiantes que 2020 seria um ano com mais produção e vendas, porém a chegada da Covid-19 diminuiu estas expectativas.

“A pauta das empresas mudou radicalmente em menos de dois meses, porém a FIEPE continua cumprindo seu papel de ser a entidade representativa do setor levando até os governantes sugestões para que todas as empresas e, especialmente, as micro e pequenas, tenham condições de atravessar este momento de dificuldade. Sabemos que é uma crise mundial, mas ela tem data para acabar e após, nós iremos reerguer nossa economia voltando a gerar emprego e riquezas”, destacou Francisco Alves.

BUSCANDO A SOBREVIVÊNCIA

A presidente do Sindusgesso, Ceissa Campos Costa, elenca os principais pleitos que estão sendo enviados aos governos para ajudar o setor a “não quebrar de vez”. Com mais de 80% de queda nas vendas, o sindicato destaca que o principal objetivo é manter o caixa das empresas saudável uma vez que as obrigações fiscais devem ser mantidas.

Na esfera federal, o sindicato propôs à Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) que não cobre das indústrias a Demanda Contratada – valor fixo na conta de energia que independe do consumo ou não da demanda elétrica. Para o Governo de Pernambuco, o setor já solicitou isenção nas taxas da Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH) e a prorrogação nos vencimentos das Licenças de Operação. Junto às prefeituras das cidades do polo gesseiro, o pedido é de parcelamento dos impostos municipais para que as empresas tenham acesso às Certidões Negativas de Débito.

 “Ainda não é possível estimar o prejuízo que o setor vai passar durante esta pandemia. A construção civil possivelmente será uma das últimas economias a se reerguer e, nós, do polo gesseiro, dependemos dela para produzir e vender. Com este cenário desenhado, muitas empresas vão parar sua produção e empregos serão perdidos causando mais problemas sociais em uma região que tem a indústria do gesso como sua principal força econômica”, lamentou Ceissa Costa.

MonitorAR irá apoiar acompanhamento de pessoas com Covid-19

0

Solução tecnológica que utiliza Inteligência Artificial (IA) foi desenvolvida há uma semana e está em fase de validação clínica. 

Um grupo de mais de 30 profissionais voluntários, de diversas áreas de conhecimento e instituições públicas de Pernambuco, liderados por pesquisadores do Programa de Pós-graduação Stricto Sensu em Engenharia de Computação da Escola Politécnica de Pernambuco (POLI), da Universidade de Pernambuco (UPE), construíram um dispositivo para monitorar sinais biológicos necessários para a triagem e acompanhamento de pacientes portadores do Covid-19. Batizado de MonitorAR, o protótipo funcional foi elaborado em uma semana, entregue no último 30 de março, e neste momento já está na fase de validação clínica.

O MonitorAR vai apoiar profissionais de saúde ao exibir informações em tempo real no suporte ao diagnóstico e evolução dos casos. Com isso, pode ser reduzida a subjetividade na alocação de equipamentos, recursos e definições de terapêuticas para o tratamento, especialmente de pacientes assintomáticos, sintomáticos ou acometidos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG). Os inventores acreditam que os sinais, obtidos de forma rápida, tempestiva e inteligente, podem ajudar sobremaneira na gestão operacional dos serviços de enfermaria e semi-intensivos, e, assim, vir a salvar vidas.

O dispositivo capta de forma inovadora a frequência respiratória dos pacientes, o que é fundamental para o fechamento do diagnóstico. Adicionalmente, o dispositivo mede a saturação periférica de oxigênio, frequência cardíaca e a temperatura. Este último no posicionamento axilar, por meio de um termômetro intercambiável, em adição aos outros três pontos de captação da temperatura corporal. O mais interessante para o time de saúde é que estes sinais são monitorados com alarmes pré-estabelecidos em faixas verde, amarela e vermelha. Sendo apresentados no próprio celular do paciente ou da instalação de saúde.

“Reunimos uma verdadeira força tarefa, que passa por profissionais das áreas de tecnologia, saúde e até mesmo logistica, e em uma semanas já estávamos com o protótipo pronto. Tivemos a reunião inicial no dia 23 de março e o protótipo funcional (hardware e software) foi apresentado no dia 30 de março. Tomamos o cuidado de não divulgar antes pois aguardávamos a consulta ao Conselho de Ética em Pesquisa para iniciarmos a validação clínica, ora em curso”, disse o professor coordenador do projeto, Fernando Buarque de Lima Neto, da POLI/UPE e orientador de 12 dos doutorandos e mestrandos no projeto.

Houve uma adaptação para que seja possível acompanhar adultos e crianças, registro das comorbidades, de acordo com as variações individuais. “O equipamento está passando por rigorosa validação clínica junto a profissionais de saúde. Após validação no comitê de ética, vamos realizar os testes em uma amostra de 70 pacientes, quando vamos observar se as medições que são apresentadas no aparelho são as mesmas que aparecem nos monitores que utilizamos no hospital. Vamos acompanhar a medição para cada variável e fazer comparações”, disse a médica pneumologista e professora da UPE, Marília Cabral. A possibilidade de uso do aplicativo em aparelhos mais antigos e populares também foi uma preocupação, por isso software foi desenvolvido para ser compatível com o sistema operacional Android em versão 7.0 (2016) ou mais recente.

A solução concebida, construída, testada e em validação possui as seguintes premissas: 1) ter um baixo custo; 2) ser confiável; 3) ser móvel, 4) sem fio (conexão Wi-Fi HW-SW e capacidade de funcionar stand-alone); 5) que permita saídas gráficas em smartphones; e 6) com a possibilidade de implementação de alarmes programáveis bem como alarmes inteligentes. Estes últimos, agora, em desenvolvimento com vistas a antecipar eventos ou tendências (e.g. intercorrências) para auxiliar os profissionais de saúde na tomada antecipada de decisão sobre pacientes e recursos.

Sanitaristas e epidemiologistas irão dispor de um recurso adicional para realizar seus estudos, uma vez que será garantido, caso haja internet disponível no local, o armazenamento das informações coletadas em banco de dados seguro em implementação na ATI. E após mais pesquisa, testes e validação, o equipamento talvez possa ser disponibilizado para monitoramento residencial ou à distância, isto já em sintonia com as recentes autorizações de práticas de telemedicina no Brasil. Neste momento, uma ação de logística reversa pode ser acionada para dar suporte à rápida e segura recuperação dos dispositivos, recolocando-os em uso nas unidades centralizadoras. Assim, também seria garantida uma operação ambiental e economicamente sustentáveis.

PARCERIA – São parceiros do projeto: a Agência de Tecnologia da Informação do Estado de Pernambuco (ATI-PE) – um dos parceiros proponentes; time de especialistas em IA da Procuradoria-Geral do Estado de Pernambuco (PGE-PE). Pela UPE, além da POLI, participam o Hospital Universitário Oswaldo Cruz (HUOC), a Faculdade de Ciências Médicas (FCM), o Pronto Socorro Cardiológico da UPE (Procape), e a Faculdade de Enfermagem Nossa Senhora das Graças (Fensg-UPE). Apoiam também o projeto: a Unidade Acadêmica de Educação a Distância e Tecnologia (UAEaDtec) da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE); as empresas: Biônica e a Mobix Software Studio.

Por Fernando Rafael de Albuquerque Silva

Novo Centro de Saúde de Araripina é inaugurado com especialidades médicas

 

A Prefeitura de Araripina inaugurou hoje, 09, o novo Centro de Saúde Dr. José Araújo Lima, que passou por uma grande reforma para a ampliação dos serviços oferecidos à população e agora tem capacidade de atender até 1.500 pessoas por mês em diversas especialidades.

Com 32 salas, o novo Centro de Saúde terá atendimentos nas áreas de clínica geral, odontologia, pediatria, cardiologia, fisioterapia, ginecologia além de uma farmácia com medicamentos e vacinação para todos.

A população também terá acesso a consultas e exames com equipamentos modernos e equipe médica e clínica capacitada.

A obra, realizada com recursos na maior parte da Prefeitura de Araripina é entregue em período de maior necessidade!

Além do novo Centro de Saúde, a prefeitura assinou, na semana passada, um convênio com o Hospital e Maternidade Santa Maria para o funcionamento da Emergência na UPA 24hs. Mensalmente, a prefeitura fará o repasse de R$ 250 mil para a manutenção de duas equipes plantonistas que garantem o atendimento de dia e durante a noite.

Junto a estes esforços, estão em pleno funcionamento os 17 postos de saúde – Estratégias de Saúde da Família (ESF) ou Unidade Municipal de Saúde da Família (UMSF) – que cobrem o atendimento na cidade, nos seis distritos e na zona rural. Outra grande novidade é o funcionamento de duas ambulâncias UTI que somam-se  à frota anterior e totalizam 12 veículos à disposição da população.

Ascom

Antonio Fernando defende cestas básicas e liberação do Garantia Safra

0

O deputado estadual Antonio Fernando (PSC) colocou a segurança alimentar dos mais pobres como foco de seus pleitos para minimizar os efeitos econômicos da pandemia do Coronavírus. Nesta quarta-feira (08.04.2020), em pronunciamento on-line, durante a 2ª reunião plenária remota da Alepe, o deputado abordou suas indicações voltadas para liberação do “Seguro Garantia Safra”; fornecimento de cestas básicas; e da urgência do repasse dos alimentos da merenda escolar para as famílias dos estudantes da Rede Estadual de Ensino.

“Antes mesmo de terminar a plenária remota tivemos a boa notícia: o Governador liberou um programa destinado a repassar recursos equivalentes ao custo da merenda para os estudantes. Exatamente o tema de uma de nossas indicações e de nosso pronunciamento, no início do pequeno expediente”, comemorou Antonio Fernando. No final da tarde, o Governador Paulo Câmara anunciou oficialmente a criação do “Cartão-alimentação” de R$ 50,00 mensais para suprir a falta da merenda (as escolas estão fechadas) para os estudantes da Rede Estadual de Ensino.

Outro requerimento de Antonio Fernando foi para o Governo do Estado fornecer cestas básicas para famílias que não estejam recebendo nenhum outro benefício, enquanto durar o decreto de isolamento social em Pernambuco. A indicação limita o benefício a 1% da população (95 mil pessoas, entre 9,5 milhões de habitantes de Pernambuco).  Segundo o deputado, “esta seria uma medida de forte interesse social, já que não há medicamento específico para tratar a Covid-19. Assim, as pessoas precisam estar sadias e alimentadas para resistir à doença e minimizar tratamentos que possam superlotar a rede pública de saúde”.

Por fim, Antonio Fernando fez um apelo para que o governador Paulo Câmara fale com a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, solicitando a liberação do “Seguro Garantia Safra 2019” para municípios do Estado, independentemente da análise técnica de perda da safra. “Com essa medida, os pequenos produtores rurais de 68% dos municípios de Pernambuco poderiam receber o Seguro Safra e minimizar os efeitos financeiros provocados pelo Coronavírus, principalmente na região do Araripe pernambucano”, concluiu o deputado.

Ascom

Caixa anuncia 6 meses de carência em novos financiamentos imobiliários

0
O presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, fala à imprensa no Palácio do Planalto, sobre o lançamento do aplicativo CAIXA|Auxílio Emergencial

Medidas representam R$ 43 bi em recursos no mercado imobiliário

A Caixa Econômica Federal anunciou hoje (9) novas medidas para o mercado de crédito imobiliário, como carência para novos financiamentos, aumento do tempo de pausa nos contratos e renegociação de dívidas, tanto para pessoas físicas quanto para as construtoras. No total, as ações representam R$ 43 bilhões em recursos no mercado imobiliário nos próximos meses. As medidas serão válidas a partir da próxima segunda-feira (13).

Em transmissão ao vivo pela internet, o presidente da Caixa, Pedro Guimarães, disse que as medidas poderão beneficiar mais de 5 milhões de famílias e preservar cerca de 1,2 milhão de empregos.

Guimarães disse que há um compromisso das construtoras de não demitir, ao renegociar os contratos com o banco. “Não aceitamos demissão. Queremos o maior tipo de proteção para os funcionários. É o equilíbrio entre a questão de preservação de saúde e a questão econômica, que evita as demissões”.

Ações para Pessoas Físicas

A Caixa implementou a pausa de 90 dias no financiamento habitacional, para clientes adimplentes ou com até duas parcelas em atraso, incluindo os contratos em obra.

Segundo Guimarães, quem já pediu dois meses de prorrogação terá a medida ampliada automaticamente para três meses. Ele acrescentou que, se a crise se agravar, a Caixa poderá estender o benefício por mais tempo.

Outra medida é para aqueles clientes que usam o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) para pagar parte das parcelas do financiamento. A partir de segunda-feira, os clientes do banco poderão pedir a pausa no pagamento da parte não coberta pelo FGTS da prestação, por 90 dias.

Outra opção para os clientes é continuar pagando as parcelas, mas com redução do valor por 90 dias. A medida é válida para clientes adimplentes ou com até duas parcelas em atraso.

A Caixa também oferece carência de 180 dias para contratos de financiamento de imóveis novos.

Aos clientes que constroem com financiamento da Caixa (construção individual) será permitida a liberação antecipada de até duas parcelas, sem a vistoria.

A Caixa anunciou ainda a renegociação de contratos com clientes em atraso entre 61 e 180 dias, permitindo pausa ou pagamento parcial das prestações.

Medidas para empresas

A Caixa anunciou a antecipação de até 20% dos recursos do financiamento à produção de empreendimentos para obras a serem iniciadas.

Há também a possibilidade de antecipação da liberação dos recursos correspondentes a até três meses, limitado a 10% do custo financiado, para obras em andamento e sem atrasos no cronograma.

O banco liberou ainda recursos de financiamento à produção não utilizados pela empresa nos meses anteriores, limitados a 10% do custo financiado.

Outra medida é a implementação da pausa nos contratos de financiamento à produção por 90 dias, para clientes adimplentes ou com até duas parcelas em atraso, incluindo os contratos em obra.

As construtoras também poderão fazer o pagamento parcial da prestação do financiamento, por até 90 dias, para os clientes adimplentes ou com até duas parcelas em atraso.

Será permitida ainda a prorrogação de carência por até 180 dias, para os projetos com obras concluídas e em fase de amortização.

Outra possibilidade é a prorrogação do início das obras por até 180 dias.

A Caixa também passará a admitir a reformulação do cronograma de obra, nos casos de contingências na execução por questões decorrentes da pandemia de covid-19.

Com o objetivo de reduzir os riscos de contaminação e exposição dos clientes e empregados à covid-19, a Caixa ampliou o prazo de vencimento de laudos e avaliações.

O banco recomenda a utilização dos canais digitais, como Internet Banking e App Habitação Caixa, além dos telefones 3004-1105 e 0800 726 0505, opção 7, ou  o número 0800 726 8068 para renegociação de contrato.

 

Agencia Brasil

Mais lidos