Educação

“Parece que estou dentro do livro”, diz criança que já leu 8 grandes títulos este ano

Compartilhe

“Gosto de ler muito porque a imaginação me leva para vários lugares.

Compartilhe

Maria Eduarda é aquele tipo de criança que não vive mais sem o mundo da Literatura. Fantasia, fábula, suspense e contos são seus gêneros favoritos. De janeiro a março, a menina, que só tem 10 anos, já leu oito livros. Mas é ao lado dos coleguinhas de escola que ela compartilha suas percepções. Eduarda desenvolveu um excelente olhar crítico.

“Gosto de ler muito porque a imaginação me leva para vários lugares. Parece que eu entro nos livros e começo a vivenciar as mesmas situações que os personagens da história. Então quando faço a produção de texto, também crio um montão de outras coisas”, disse a aluna, referindo-se ao projeto ‘Viva a Leitura’.

Acostumada com os livros desde os 6 anos, Maria Eduarda Gonçalves é um dos 306 estudantes inscritos na iniciativa. Foram esses pequenos leitores que participaram, no Colégio Plenus, próximo à orla de Petrolina (PE), nesta quinta (4) e sexta-feira (5), do evento de abertura da edição 2019 do projeto de incentivo mais longevo de Pernambuco.

“O Viva a Leitura envolve alunos do 1º ao 5º ano do Plenus Junior. Então temos bastantes histórias de estudantes que liam muito pouco quando entraram no projeto, e que agora leem 80, 90, 100 títulos”, contou a coordenadora do Ensino Fundamental (anos iniciais), Claudia de Souza. A educadora explica que durante o ano letivo o aluno é incentivado a pegar emprestado livros na biblioteca do colégio, lê-los, fazer fichamentos e apresentação oral, sendo, em novembro, premiados com brindes.

“Os presentes são uns vales para os livros que eles desejam muito, mas com certeza somos nós professores os mais agraciados quando vemos, ao final do ano, como eles evoluíram. É maravilhoso ver as crianças compartilhando suas leituras, explicando por que gostaram ou não da obra, convencendo seus coleguinhas de que a história é boa. Veja, não é um adulto dizendo que um livro é bom, é a própria criança indicando uma leitura para outra, a partir de sua experiência”, comentou a coordenadora.

Momento Mágico

Terceiro livro mais traduzido no mundo, ‘O Pequeno Príncipe’ foi o principal tema da abertura do projeto. Mesclando as lições do clássico mundial com os poemas do brasileiro, Manoel de Barros, as crianças fizeram um verdadeiro exercício imagético. Um momento mágico que chegou ao auge com a participação da psicopedagoga e contadora de histórias, Thamy Mascarenhas.

A arte educadora trabalha no projeto “Sol de Maria”, que utiliza ações educativas, artísticas e culturais para ensinar as crianças através da ludicidade. É com essa experiência, que Thamy explica o diferencial de uma criança leitora. “Devido ao seu repertório, ela adquire uma capacidade criativa muito maior de pensar possibilidades para uma narrativa, é uma criança que desenvolveu muito a flexibilidade cognitiva, estabelecendo associações, finais alternativos e um enredo mais elaborado”.

Uma análise que se encaixa perfeitamente na pequena Maria Eduarda, que costuma escrever também as próprias histórias. “Eu leio os livros e então me dá vontade de criar um mundo diferente, onde eu invento as plantas, os animais e meus próprios personagens, e depois eu conto para minhas amigas”, finaliza.

CLAS Comunicação & Marketing

Leia também: