“Pau que dá em Chico dá em Francisco” assim diz o ditado popular que semanticamente revela algo que toda a população pernambucana deseja, mas nem sempre isso é compreendido e realizado pela administração pública: tratamento igualitário. O governo de Pernambuco que o diga, especialmente quando se trata da agropecuária do estado. Entendemos perfeitamente e achamos justo a convocação de profissionais de outros setores (inclusive “comissionados essenciais”), o que discordamos é a atenção dada a outras áreas enquanto a Defesa e Fiscalização Agropecuária vive no ostracismo. Até quando? Até quando o regime prudencial existirá para não homologar e convocar os aprovados no concurso da ADAGRO, enquanto permite a homologação e convocação de concursos de outras áreas? Até quando a vitrine que expõe e alardeia de forma espetaculosa às quatro freguesias a aprovação da equivalência da inspeção da ADAGRO ao SISBI vai encobrir a deficiência do quadro de servidores e da precária estrutura da instituição? Até quando vamos ouvir desculpas mal formuladas para explicar a inexplicável falta de valorização a esses profissionais? Fica aqui o apelo ao bom senso do governo de Pernambuco. Afinal, “o pau que dá em Chico tem que dar em Francisco…”

Comissão de aprovados no concurso Adagro 2019

Leia também: