Início Notícias Político que faz favor, nega Direitos: Por Éder Rodrigo – Vice-prefeito de...

Político que faz favor, nega Direitos: Por Éder Rodrigo – Vice-prefeito de Jatobá/PE, confira aqui!

50
0
Uma criança com um problema na visão. Preocupado, seu pai a leva ao médico. Ao examinar a criança, o médico solicitou que se fizesse um exame. Desse modo, o pai procurou o setor de marcação de exames da prefeitura e informaram que só haveria vaga após 3 meses, em razão do limitado número de exames a disposição da população. Assim, o pai, sem condições financeiras para realizar o exame na rede particular, foi obrigado a esperar. Depois de longos 3 meses, finalmente, a criança conseguiu realizá-lo. Ao se dirigir ao médico e apresentar os exames, o pai teve a triste notícia de que, por causa da demora na realização do exame, o caso da criança havia se agravado e infelizmente ela não poderia mais enxergar.

É com base nesse história fictícia que início esse texto para conscientizar todos sobre a importância do combate ao clientelismo: prática eleitoreira caracterizada pela oferta de favores por parte do político em troca de votos da população, como por exemplo a oferta desenfreada de cargos públicos para conseguir dividendos políticos.

Ao inchar a máquina pública com a contratação de pessoal visando vantagens eleitoreiras, especialmente no período que antecede as eleições, os gestores públicos causam diversos males a sociedade. Eles se aproveitam de momentos de dificuldades pelos quais as pessoas passam, principalmente o desemprego, e ofertam esses cargos públicos em troca de apoio nas eleições. Essa prática é nefasta por vários aspectos.

Primeiro que, ao contratar pessoal de forma

desmedida, esse gestor irresponsável transgride a Lei de Responsabilidade Fiscal e, logo em seguida à eleição, é obrigado a demitir todo mundo que havia contratado, gerando uma grande frustração a essas pessoas. Segundo, o que é pior, compromete o orçamento público praticamente todo com despesas com pessoal, faltando, assim, recursos para investir em áreas essenciais, como saúde, por exemplo.

A administração pública não é um fim em si mesmo, muito menos um local para servir de cabide de empregos para fins eleitoreiros. Ela é um instrumento fundamental de concretização de políticas públicas que visem ao desenvolvimento econômico e social da sociedade. PENSE NISSO!!

Éder Rodrigo
Vice-prefeito

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui