Notícias Política

Procuradoria da República envia denúncia contra líder de Bolsonaro

Nova Política: Procuradoria da República envia denúncia contra líder de Bolsonaro, no Senado, Fernando Bezerra Coelho, Fernando Filho, Marinaldo Rosendo e Fernando Coutinho, por formação de quadrilha, peculato e outros delitos, para Procuradora geral da República. Delitos teriam sido praticados com servidores da CPRM no Estado.

O Blog da Noélia Brito teve acesso a um documento da Procuradoria da República em Pernambuco, pelo qual uma denúncia formulada contra o líder do governo Bolsonaro, Fernando Bezerra Coelho e ainda contra seu filho que é deputado federal e ex-ministro das Minas e Energia do governo Temer, Fernando Bezerra Coelho Filho e contra os deputados federais Marinaldo Rosendo e João Fernando Coutinho por diversos crimes que teriam sido cometidos no âmbito da CPRM em co-autoria com gestores e servidores daquele órgão federal, subordinado ao Ministério das Minas e Energia.

A denúncia, de acordo com o documento,  partiu de um grupo auto-intitulado Movimento Pró-CPRM.

Diz um trecho do despacho assinado pelo Procurador da República Nilo Rayol: “Da leitura do inteiro teor da representação subscrita pelo Movimento Livre – Pró CPRM, verifica-se que a presente investigação foi iniciada com vistas à apuração de conduta tida como irregular por Deputado Federal e por Senador da República, além de servidores e gestores da CPRM em Pernambuco. Nesse sentido, dentre as irregularidades narradas pelo representante estão a prática de suposta “formação de quadrilha” pelo Deputado Federal Fernando Coelho Filho e pelo Senador da República Fernando Bezerra Coelho, além de servidores e gestores do órgão em comento, já que estariam eles, associadamente, “utilizando-se dos cargos executivos e legislativos, praticando uma série indeterminada de crimes como os relatados anteriormente, como peculato, desvio e mau uso de dinheiro público”. Percebe-se, por conseguinte, que as condutas ilícitas, em tese, estariam diretamente relacionadas aos cargos ocupados pelos agentes políticos supramencionados, sendo certo que são necessárias diligências ulteriores com vistas à delimitação as condutas praticadas.”

Fonte: https://noeliabritoblog.blogspot.com/2019/04/nova-politica-procuradoria-da-republica.html?spref=tw&m=1

Leia também: