Início Brasil Quase 2 milhões ‘sem conta’ ainda não sacaram ajuda emergencial no país

Quase 2 milhões ‘sem conta’ ainda não sacaram ajuda emergencial no país

76
0
© Marcello Casal Jr./Agência Brasil O texto deixa claro que profissionais intermitentes também serão incluídos, dependendo de sua renda
(Foto: Reprodução)

Dos 18,5 milhões de brasileiros sem conta bancária que receberam a primeira parcela do auxílio emergencial de R$ 600 (R$ 1,2 mil para mães solteiras), 16,49 milhões resgataram o benefício. De acordo com o presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, nesta terça-feira (5), cerca de 2 milhões receberam o dinheiro nas contas poupanças digitais, mas ainda não o movimentaram.

A maior parte dos beneficiários que fez o resgate optou por transferir o dinheiro para contas da Caixa em nome de parentes ou de amigos. Segundo Guimarães, 7,34 milhões fizeram essa opção, que, conforme explicou, equivale à retirada do auxílio. Uma hipótese para essa opção é de que a conta poupança digital permite transferências ilimitadas e sem custo para outras contas da própria Caixa.

Em segundo lugar, ficou o saque em dinheiro nas agências da Caixa, nos caixas eletrônicos ou em casas lotéricas, com 5,19 milhões de retiradas realizadas até as 14h de hoje. O número representa o contingente que tem ido aos pontos de atendimento nos últimos dias, fazendo longas filas. O saque em espécie da primeira parcela termina hoje para os nascidos em novembro e dezembro, mas quem não conseguiu retirar pode fazê-lo nos próximos dias.

Um total de 3,18 milhões de brasileiros transferiu o dinheiro da conta digital para contas de outros bancos por meio da Transferência Eletrônica Disponível (TED) ou do Documento de Ordem de Crédito (DOC). A conta poupança digital permite até três operações do tipo por mês. Por 90 dias, elas serão gratuitas.

Segundo a Caixa, 398,8 mil pessoas usaram a conta digital para pagarem contas domésticas (água, luz, telefone e gás), 333,1 mil pagaram boletos por meio do aplicativo Caixa Tem e apenas 38,6 mil optaram por receber o benefício em cartões de débito da bandeira ELO. Pedro Guimarães disse esperar que mais pessoas optem pelo cartão de débito. “Torço para que a gente tenha mais pagamentos e uso do cartão, porque eles representam uma necessidade menor de saques presenciais nas agências”, declarou.

(Fonte: Bahia.ba)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui