Destaques Notícias

Trump chama matéria da Bloomberg de ‘fake news’ e reitera apoio à entrada do Brasil na OCDE

Compartilhe:

Tweet de Trumpp foi compartilhado por Bolsonaro, acompanhada de um versículo da Bíblia em inglês

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, chamou, na noite desta quinta-feira (10), de “fake news” o artigo publicado pela agência de notícias Bloomberg sobre a retirada de apoio americano à entrada do Brasil na Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE).

“A declaração conjunta divulgada com o presidente Jair Bolsonaro em março deixa absolutamente claro que apoio o Brasil desde o início do processo de adesão plena à OCDE. Os EUA defendem essa afirmação e apoiam Bolsonaro”, escreveu Trump no Twitter.

A publicação foi compartilhada por Bolsonaro, acompanhada de um versículo da Bíblia em inglês. “E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará (João 8:32).”

Segundo divulgou a Bloomberg mais cedo, o secretário de Estado americano, Mike Pompeo, teria enviado uma carta ao secretário geral da OCDE afirmando que não queria discutir uma maior ampliação da organização. Além disso, ele teria dito que apoiava as candidaturas da Romênia e da Argentina, mas não citado o Brasil.

Pompeo também se manifestou a respeito da declaração em seu Twitter. “Ao contrário dos relatos da mídia, os Estados Unidos, consistentes com a declaração conjunta de 19 de março dos presidente Trump e Bolsonaro, apóia totalmente o Brasil no início do processo para se tornar um membro pleno da OCDE”, escreveu.

“Parabenizamos os esforços contínuos do Brasil em relação a reformas econômicas, melhores práticas e uma estrutura regulatória alinhada aos padrões da OCDE. A carta vazada não representa com precisão a posição dos Estados Unidos em relação ao aumento da OCDE. Somos apoiadores entusiasmados da entrada do Brasil nesta importante instituição e os Estados Unidos farão um grande esforço para apoiar a adesão do País”, finalizou Pompeo.

O acordo ao qual os líderes se referem foi feito durante a visita de Bolsonaro a Washington, em março. Na época, Trump afirmou que o Brasil e os Estados Unidos “nunca estiveram tão perto” e disse que avaliaria “muito, muito a sério” a possibilidade de dar ao país sul-americano benefícios próprios da Otan.

Hoje, em transmissão ao vivo nas redes sociais, Bolsonaro demonstrou tranquilidade quanto à adesão do Brasil à organização. “Vai chegar nossa hora. Não é ‘chegou vai entrando’. Eles fazem uma seleção que é a conta-gotas, para que o país possa cumprir tudo aquilo que está no estatuto”.

  • Por Jovem Pan

Leia também: