Destaques Notícias Petrolina

Veja mais detalhes: Secretário que mudou transporte público de Petrolina sofre atentado

Compartilhe

O secretário executivo de Transporte de Petrolina, JOSÉ CARLOS ALVES, sofreu uma tentativa de assassinato na manhã desta quarta-feira, dia 11 de dezembro. O crime aconteceu onze dias após a cidade, trocar a empresa responsável pelo sistema de transporte público. Segundo o prefeito Miguel Coelho (MDB), tanto ele quanto o secretário vinham recebendo ameaças por causa da nova licitação de coletivos, por meio de mensagens de texto, visitas de carros suspeitos e até cartas assinadas com sangue.
José Carlos Alves foi levado consciente para um hospital particular da cidade — Foto: Reprodução/TV Grande Rio
“Não podemos fazer nenhuma conjectura, mas não podemos ignorar as ameaças que vínhamos recebendo. Muita coincidência isso (o atentado) acontecer nesses primeiros dias da nova empresa”, afirmou o prefeito de Petrolina, em coletiva de imprensa durante a manhã. “Há uns dois, três meses, divulguei essas ameaças que estávamos recebendo desde que começamos esse novo processo de licitação. Não imaginávamos que fosse chegar a um ponto tão extremo como tentativa de homicídio”, acrescentou.
Mesmo com as ameaças, tanto o prefeito quanto o secretário dispensaram o uso de seguranças. “Mas depois de hoje, medidas terão que ser tomadas. O próprio governador (Paulo Câmara) disponibilizou segurança para todas as pessoas que participaram do processo de licitação. A empresa vencedora, que também sofreu ameaças, prestou queixa na polícia baiana”, detalhou o gestor municipal.
Miguel Coelho acionou o Ministério Público de Pernambuco e as polícias Civil e Federal para acompanharem o caso. Por fim, assegurou o funcionamento da nova empresa de ônibus. “Isso é um claro sinal de intimidação. Vamos até o fundo dessa história para encontrar mandante, executor, seja quem for. Não vamos deixar ninguém da equipe se sentir amedrontado ou a população achar que está vivendo na época dos coronéis”, finalizou
Responsável pela Autarquia Municipal de Mobilidade de Petrolina (Ammpla) – equivalente à Autarquia de Trânsito e Transporte Urbano do Recife (CTTU), JOSÉ CARLOS ALVES estava tirando o carro da garagem de sua casa, na Cidade Universitária, quando foi atingido por quatro tiros – todos na cabeça, um no tórax e outro no braço, por volta das 6 horas e 40 minutos.
Após o atentado, ele foi levado para o Hospital da Unimed, onde foi submetido a uma craniotomia (cirurgia que abre a cabeça) e teve as balas retiradas. Apesar dos tiros, ele está consciente e conversando. De acordo com o médico Antonio Vinicius, ele deverá evoluir bem nos próximos dias. “Podemos dizer que ele está estável, está bem”, comentou.
O inquérito está sob responsabilidade do delegado Gregório Ribeiro. “Diligências estão sendo realizadas e a Polícia Civil se pronunciará sobre o caso ao final das investigações”, disse a instituição, em nota.
Diário de Pernambuco

Leia também: