Compartilhe:

© Foto: Presidência Temer
Agência O Globo


BRASÍLIA – O presidente Michel Temer reafirmou na manhã desta quinta-feira, durante café da manhã com jornalistas no Planalto, que não está em seus planos renunciar por conta de delações premiadas da Lava- Jato ou por conta da crise politica. Ele afirmou, no entanto, se a chapa Dilma-Temer for cassada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) cabe a ele seguir a decisão da Justiça.

— Se a chapa for cassada respeito a decisão do Judiciário. Claro que antes disso haverá recursos e mais recurso.

Sobre uma possível renúncia, disse apenas:

— Confesso não pensar nisso.

— E se for cassado, obedeço a decisão da Justiça.

Ao comentar a sua baixa popularidade, o presidente disse que é uma aliada porque assim pode tomar medidas duras. Segundo ele, seria mais confortável deixar decisões “polêmicas” para o próximo governo.

E sobre a citação do ministro Eliseu Padilha (Casa Civil) na delação de ex-executivos da Odebrecht por ter intermediado e recebido R$ 1 milhão, Temer disse que não o demitirá.

— Não tirarei o chefe da Casa Civil não. Ele continua firme o forte.

Ao lembrar de expressão usada pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso de que ele é menos que uma ponte, e sim um pinguela, Temer disse que não importa o meio, mas que é preciso atravessar a crise.

— Não importa se é ponte ou pinguela. Importa atravessá-la.

Leia também: