Notícias

Início Notícias Página 187

Ouricuri: Profissional do HRFB está com suspeita de coronavírus

O município de Bodocó tem nesta quinta-feira (16) o primeiro caso suspeito de Covid-19.

Trata-se de uma profissional da área de saúde, que reside em Bodocó, mas trabalha no Hospital Regional Fernando Bezerra, em Ouricuri.

A paciente foi notificada e registrada pelo Hospital Regional e está aguardando resultado da testagem.

Ela encontra-se em sua casa, cumprindo isolamento social.

Maiores informações serão prestadas após conclusão do teste.

Assessoria de Comunicação

Bodocó tem primeiro caso suspeito de Covid-19

O município de Bodocó tem nesta quinta-feira (16) o primeiro caso suspeito de Covid-19.

Trata-se de uma profissional da área de saúde, que reside em Bodocó, mas trabalha no Hospital Regional Fernando Bezerra, em Ouricuri.

A paciente foi notificada e registrada pelo Hospital Regional e está aguardando resultado da testagem.

Ela encontra-se em sua casa, cumprindo isolamento social.

Maiores informações serão prestadas após conclusão do teste.

Assessoria de Comunicação

Covid-19 deve provocar prejuízo de R$ 6 bi na construção civil em Pernambuco

Empresários da indústria da construção civil estimam que a pausa provocada pela pandemia da Covid-19 deve causar um prejuízo bilionário no setor durante os meses de abril e maio, em Pernambuco.

O setor vive a expectativa de uma liberação por parte do governo estadual para que os trabalhadores do setor possam voltar as atividades, preservadas as medidas de segurança deles.

Ao chegar a Pernambuco, a Covid-19 provocou uma paralisação em 70% das atividades de construção civil no estado. De acordo com o sindicato da categoria, 40 mil trabalhadores de concreteiras e outros setores estão fora dos canteiros desde 22 de março.

O Sinduscon-PE estima que o prejuízo total do setor será de R$ 6 bilhões em dois meses.

A paralisação afeta a disponibilidade de concreto pronto, alteração no valor do cimento, falta de madeiras e outros itens usados na construção civil.
Apenas obras públicas, de empresas concessionárias do serviço público e atividades urgente podem ser executadas durante a vigência do decreto.

“Apenas 30% dos trabalhadores estão atuando, de forma excepcional, mas nem essas obras estão a pleno vapor. Estamos com dificuldade para conseguir os materiais, os trabalhadores estão com medo”, detalha Érico Furtado, presidente do Sinduscon-PE.

Por Mayk Souza

Renda Básica Emergencial: veja se você tem direito!

Lançamento do aplicativo CAIXA|Auxílio Emergencial

 

 

O novo coronavírus, além de devastar os sistemas de saúde mundo afora, vem desestabilizando economias e deixando milhares de desempregados ao redor do globo.

No Brasil, a situação não poderia ser diferente. Por conta disso, o governo começou a tomar medidas de ordem emergencial para combater os avanços do impacto da COVID-19 na economia e, apesar de tímidas, tais medidas podem gerar um alívio em quem perdeu parcial ou completamente a renda neste período de isolamento.

Uma das medidas aprovadas recentemente é a renda básica emergencial. A proposta, feita pelo Governo Federal, era o pagamento de um auxílio de R$ 200,00 por um período de dois meses para trabalhadores informais. No entanto, na Câmara de Deputados, o auxílio foi aumentado para R$ 600,00 por pessoa, podendo chegar a R$ 1.200,00, por um período mínimo de 3 meses.

Quem tem direito?

Terão direito ao auxílio todas as pessoas maiores de dezoito que atendam aos requisitos do CadÚnico para pessoas de baixa renda, o cadastro do governo federal para o pagamento de benefícios sociais, além de outros requisitos estabelecidos pelo governo. Assim, poderão receber o benefício todas as pessoas maiores de 18 anos que:

  • Não tenham carteira assinada;
  • Seja um microempreendedor individual (MEI) cadastrado;
  • Desempregados, desde que não recebam o seguro desemprego.

Além disso, como o benefício é destinado a pessoas de baixa renda, é necessário cumprir alguns requisitos em relação à renda:

  • Possuir renda total mensal inferior a três salários mínimos (R$ 3.135,00);
  • Possuir renda per capita (por pessoa) inferior a meio salário mínimo (R$ 522,50);
  • Não ter tido rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70 em 2018.

Além dessas pessoas, está em votação na Câmara de Deputados uma alteração do projeto para incluir mães adolescentes, pais solteiros, além de outros profissionais como sócio em empresa inativa, pescadores, caminheiros, camelôs, taxistas, motoristas de aplicativos, dentre vários outros.

Quem não tem direito?

Pessoas que recebam qualquer tipo de benefício do governo, com exceção do bolsa-família, aposentados e pensionistas, além de funcionários públicos, não terão direito ao benefício.

Como funciona o auxílio para quem tem Bolsa Família?

Quem recebe o Bolsa Família poderá receber o auxílio emergencial, no entanto, não poderá acumular com os dois benefícios. Assim, deverá optar pelo Bolsa Família ou pelo auxílio emergencial. Ao fim da pandemia, a pessoa voltará a receber o Bolsa Família normalmente.

Quanto vou receber?

Cada adulto da família receberá R$ 600,00, no entanto, o valor não poderá ultrapassar R$ 1.200,00. Logo, só será possível acumular dois benefícios por família. Mães solteiras ou chefes de família receberão o benefício dobrado, ou seja, R$ 1.200,00.

Como faço para receber o auxílio?

Quem receber o bolsa família receberá o auxílio automaticamente. O mesmo acontecerá com quem for inscrito no CadÚnico e se encaixar nos requisitos citados acima. No entanto, caso você não seja inscrito no CadÚnico e nem receba bolsa família, é necessário realizar um cadastro na plataforma digital criada pelo governo com este fim.

Quando começo a receber?

A primeira parcela do benefício começou a ser pago de maneira automática para todos aqueles que tinham conta corrente ou poupança na Caixa Econômica Federal ou Banco do Brasil em 09 de abril (quinta-feira). No dia 13 de abril (segunda-feira), começaram os pagamentos das mulheres que são chefes de família. No dia 14 (terça-feira), serão realizados os pagamentos das pessoas inscritas no CadÚnico que não possuem conta em nenhum banco (para essas pessoas, o governo abrirá uma poupança digital gratuita na Caixa Econômica Federal).

Para quem recebe o bolsa família, o auxílio será pago na data de pagamento do bolsa família. Por sua vez, as pessoas que fizeram o cadastro na plataforma deverão esperar até 5 dias úteis para que o DataPrev autorize o pagamento e mais 3 dias úteis para que ele seja efetuado.

As demais parcelas do benefício serão pagas entre os dias 27 e 30 de abril e 26 e 29 de maio, de acordo com o mês de nascimento. A única exceção são os inscritos no bolsa família, que receberão no dia de pagamento do bolsa família.

Por Camilla Cruz

Feira livre de Bodocó acontece no CAE seguindo medidas de segurança ao enfrentamento da Covid-19

A feira livre de Bodocó foi realizada nesta segunda-feira (13) no Centro de Atividades Econômicas (CAE).

Visando a adoção de medidas de segurança para o enfrentamento à pandemia da Covid-19, a prefeitura, por meio da Secretaria de Administração, realizou a organização da feira, prezando pelo distanciamento das barracas, para evitar aglomerações, disponibilizando o acesso a água e sabão para higienização dos consumidores e feirantes e delimitando espaços entre as pessoas, através da organização de filas.

A prefeitura também disponibilizou luvas e máscaras para todos os feirantes.

No local foram comercializados apenas gêneros alimentícios. A equipe da Vigilância em Saúde atuou, prestando orientações e auxiliando na execução.

Assessoria de Comunicação

Petrolândia-PE: Prisão em flagrante pela infração de medida sanitária na cidade

MPPE, por meio da Promotoria de Justiça de Petrolândia informa prisão em flagrante pela infração de medida sanitária na cidade.

O Ministério Público do Estado de Pernambuco, por meio da Promotoria de Justiça de Petrolândia informa:

Que foi realizada a primeira prisão em flagrante pela infração de medida sanitária (art. 268 CP) no município de Petrolândia.

O comércio de celulares insistiu no funcionamento regular, apesar de orientado e notificado pela Vigilância Sanitária, bem como pela Polícia Militar.

No dia de hoje, 16/04, por volta das 11:00, o comércio foi avistado em funcionamento normal com portas levantadas e clientes no seu interior.

Em outras oportunidades também deixou de atender as orientações funcionando normalmente.

A proprietária foi conduzida a Delegacia de Polícia para instauração de procedimento policial em seu desfavor.

Informação: Ministério Público do Estado de Pernambuco/Promotoria de Justiça de Petrolândia

Parnamirim – prefeito explica estratégias adotadas para prevenção ao novo coronavírus no município

0

O prefeito de Parnamirim, Tácio Pontes, concedeu entrevista para o GR1 da TV Grande Rio, nesta terça-feira (14) para falar sobre as medidas de prevenção ao coronavírus no município. Parnamirim possui um caso suspeito e nenhum confirmado de Covid-19.
“Nós temos hoje 31 casos de síndrome gripal e hoje pela manhã nós tivemos o primeiro caso suspeito aqui no nosso município. Então esse paciente está em isolamento no nosso hospital, está sendo feita a regulagem dele para o hospital de referência. Casos confirmados nós não temos nenhum no momento”, enfatizou o prefeito.
O hospital de Parnamirim não possui nenhuma Unidade de terapia intensiva (UTI), por isso, a prefeitura deve encaminhar pacientes em estado mais grave para o Hospital Regional de Ouricuri.
“Esse paciente que chega suspeito é regulado para o hospital de referência. Nós hoje na nossa unidade hospitalar temos onze leitos de retaguarda para Covid, para que aqueles pacientes não precisem de UTI ou que não estejam em situação mais grave. E hoje temos também uma sala de triagem específica para pacientes suspeitos. Nós fizemos toda orientação dos nossos profissionais para que eles saibam como proceder nesses casos.”
De acordo com Tácio Pontes, entre as medidas lidar com a pandemia estão o aumento da equipe da vigilância sanitária e determinação de 14 dias de distanciamento social para quem chega de viagem ao município. Para ele, as medidas têm sido acatadas pela população.
“A gente tem graças a Deus a maioria da população entendendo as nossas orientações e recomendações. Apenas uma pequena parte da população ainda acha que o vírus não vai chegar ao nosso município ou que não se trata de uma doença tão grave. Mas o município tem trabalhado para intensificar essas ações. Nós temos colocado carros de som nas ruas, nas redes sociais temos feito divulgação, nas rádios, para que a população se atente ao que está sendo pedido pelo município, que está sendo recomendado”, concluiu.
Fonte – G1/ Petrolina/ TV Grande Rio

Isolamento social e menor circulação de automóveis barateiam combustível

A queda no valor do barril de petróleo no mercado internacional começa a chegar às bombas dos postos de gasolina, mas não por causa do barateamento no peço dos derivados, e sim por causa da violenta queda na demanda — devido à pandemia, que tem obrigado o consumidor ao isolamento social. Levantamento da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) mostra que houve queda no preço dos combustíveis de 8,5% em março.
No Brasil, a Petrobras vem cortando o valor dos combustíveis na refinaria. A última redução, em 28 de março, foi de 5%. Hoje, a gasolina custa R$ 1,08 por litro (sem impostos e margens de distribuidoras e postos), o menor valor desde 31 de outubro de 2011. No acumulado do ano, a redução é de 43,5%. No óleo diesel, a queda é de 31,3% em 2020. “A Petrobras espera que este movimento nos preços se reflita, no curto prazo, na redução do preço final cobrado ao consumidor”, disse a estatal.
Segundo o levantamento da ANP, na semana avaliada a queda foi de 2,6% e o combustível foi vendido, em média, a R$ 3,439 o litro nas bombas, valor nominal mais baixo desde novembro de 2017. Isso mostra que os valores dos derivados para o consumidor final estão cedendo, ainda que a queda dos preços da Petrobras, nas refinarias, seja bem maior. Nas bombas, os preços do litro do diesel S10 acumulam queda de 8,6% desde o início de março, enquanto a petroleira estatal reduziu seus preços nas refinarias em 16,1% desde então.
Já a demanda por etanol e gasolina da BR Distribuidora está entre 30% e 35% menor na comparação com períodos pré-crise, afirmou o presidente da companhia, Rafael Grisolia. No início da implantação de medidas de isolamento, a demanda pelos combustíveis chegou a cair 60%. A queda menor percebida atualmente parece refletir o aumento da movimentação em centros urbanos, segundo a empresa. No caso do diesel, a redução é da ordem de 20% desde o início da crise.
Com a continuidade da queda do preço do petróleo no mercado internacional, a Petrobras anunciou ontem às distribuidoras que vai reduzir, a partir de hoje, em 8% o preço da gasolina no mercado interno, ou menos R$ 0,0860, enquanto o diesel terá queda de 6%, em R$ 0,0960.
Fonte – Diário de Pernambuco

Ipubi: Ex-vereador abandona oposição e adere ao grupo de Chico Siqueira

Está rolando nos quatro cantos de Ipubi um áudio vazado do ex-vereador Glauber, em que ele deixa clara a sua adesão ao grupo político do prefeito Chico Siqueira. Historicamente, pelos altos índices de rejeição, Chico nunca venceu no distrito de Serrolândia, reduto eleitoral de Glauber (que tem forte identidade de oposição).

Ainda no áudio vazado, o ex-vereador deixa a entender que não será candidato a nada, tendo em vista que a data de filiação, de acordo com o calendário eleitoral, seria o último dia 04 de abril, e segundo consta sua adesão/filiação ocorreu na data de ontem (14/04).

Ouça o áudio:

A repercussão tem sido bastante negativa em torno do ex-vereador no município, sobretudo, no seu reduto eleitoral Serrolândia. Diante dos fatos, e inclusive na sua declaração no final do áudio, ele releva a crer que sua adesão ao grupo do prefeito teria sido por vantagens pessoais para brevemente abandonar a política.

Por AF News/Foto: Reproduç

Ministério da Saúde dobra valor do custeio do leito de UTI para R$ 1,6 mil por dia

O Ministério da Saúde vai dobrar o valor do custeio diário dos leitos em Unidades de Terapia Intensiva (UTI) Adulto e Pediátrica. O incentivo financeiro do Governo Federal passa agora a ser de R$ 1,6 mil para os leitos utilizados no atendimento aos pacientes com coronavírus.

O recurso será utilizado para manter os leitos habilitados temporariamente durante a emergência em saúde pública decorrente da Covid-19. Para receber o recurso, o gestor do hospital deve informar via sistema a utilização do leito, duas vezes por dia, como explica o secretário-executivo do Ministério da Saúde João Gabbardo.

“Os hospitais vão receber o dobro do valor da diária para atender, em UTI, pacientes com coronavírus. Para receber esse valor adicional, o hospital se obriga a informar duas vezes por dia a utilização desses leitos e se neles estão pacientes com coronavírus, quantos pacientes estão nas enfermarias e quantos pacientes estão na UTI. Isso na rede pública e privada.”

O Ministério da Saúde pagava R$ 800 por dia pelos leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTI). Esse dinheiro é destinado a pagar luz, material, serviço, pessoal e manutenção, entre outros itens. Para obter a habilitação de novos leitos nos estados, o gestor local deve solicitar a abertura da unidade ao Ministério da Saúde.
O secretário-executivo do Ministério da Saúde ressalta, ainda, que o gestor que não prestar as informações para o Ministério sobre a utilização dos leitos para pacientes com coronavírus, pode sofrer punições ou ter os recursos suspensos.

“Se não informar, vai sofrer sanções, punições. Vai deixar de receber o valor, vai ser responsabilizado civil e criminalmente por não prestar esse tipo de informação. E, num terceiro momento, se ele continuar não informando, a Polícia Federal será acionada para ir ao hospital cobrar esse tipo de controle.”

Os pedidos antigos para habilitação de novos leitos para tratamento de pacientes com a Covid-19 serão desconsiderados pelo Ministério da Saúde. Os gestores locais devem encaminhar novas solicitações, já que agora são necessários outros requisitos como assinatura do gestor municipal e estadual para a abertura da unidade intensiva.

Para mais informações, acesse saude.gov.br/coronavirus./Foto: reprodução

Mais lidos