Esporte

Corinthians e Palmeiras se enfrentam pela 353ª vez na história nesta quarta-feira

 

Nesta quarta-feira, às 21h45 (de Brasília), Corinthians e Palmeiras duelam no 1º clássico do ano do centenário do dérbi, que foi disputado pela primeira vez em 6 de maio de 1917.

100 anos depois, o duelo entre alvinegros e alviverdes tem o retrospecto mais equilibrado entre os clássicos do país.

Até hoje, os rivais já se enfrentaram em 351 oportunidades. Foram 125 vitórias palestrinas e 120 triunfos corintianos, além de 106 empates, segundo as contas do clube do Parque São Jorge.

Já segundo os números palmeirenses, foram 361 jogos, com 129 triunfos alviverdes, 122 vitórias corintianas e 110 empates.

Nos números corintianos, foram anotados 975 gols: 508 do Palmeiras e 467 do Corinthians.

Nenhum outro dérbi no Brasil tem números tão próximos quanto os da rivalidade entre os paulistanos. Nos outros clássicos paulistas, por exemplo, as vantagens são quase sempre bem maiores.

O “Majestoso” (Corinthians x São Paulo) tem domínio alvinegro: em 329 partidas, são 123 vitórias corintianas e 102 são-paulinas, mais 104 empates.

O Corinthians também tem os melhores números no “Clássico Alvinegro” contra o Santos: 128 triunfos corintianos, 104 santistas e mais 92 empates em 324 disputas.

O “Clássico da Saudade” (Palmeiras x Santos) tem ampla vantagem alviverde: em 316 duelos, há 132 vitórias palmeirenses, 101 santistas e 83 igualdades.

No “San-São” (São Paulo x Santos), destaca-se a vantagem tricolor: 131 triunfos são-paulinos e 100 santistas – 71 empates completam a estatística dos 302 duelos.

O único que fica perto dos valores de Palmeiras x Corinthians é o “Choque-Rei” (Palmeiras x São Paulo): 311 jogos, com 107 triunfos tricolores e 102 vitórias palestrinas, mais 102 igualdades. No entanto, são muitos duelos a menos que o dérbi centenário.

O último Palmeiras x Corinthians antes do dérbi desta quarta-feira também foi disputado em Itaquera, terminando com vitória por 2 a 0 do “Verdão”, gols de Moisés e Yerry Mina, pela 26ª rodada do Campeonato Brasileiro de 2016.

Foi o 125º triunfo alviverde sobre o grande rival.

Outros clássicos pelo país também ficam longe do equilíbrio de Corinthians x Palmeiras.

No Rio de Janeiro, por exemplo, o “Clássico dos Milhões” (Flamengo x Vasco) tem superioridade rubro-negra: 148 vitórias flamenguistas, 137 vascaínas e 109 empates em 394 disputas.

O time da Gávea também domina o “Fla-Flu”: em 405 duelos, há 146 triunfos rubro-negros, 129 do Fluminense e 130 empates.

No duelo entre Flamengo e Botafogo, novamente o “Urubu” leva a melhor: 126 vitórias contra 109 do adversário – 120 empates completam a estatística dos 355 duelos.

Nos outros clássicos cariocas, o Vasco leva a melhor sobre o Botafogo (137 vitórias a 85, mais 95 empates) e também sobre o Fluminense (141 a 119, mais 102 igualdadades).

Quanto aos números de Fluminense x Botafogo, não há consenso, mas o time das Laranjeiras tem mais vitórias tanto nas contas tricolores quanto alvinegras.

Nos outros Estados, destaca-se o domínio do Internacional no “Grenal”: em 411 partidas, foram 154 vitórias coloradas, 128 dos gremistas e ainda 129 empates.

Em Minas Gerais, também há racha quanto aos números, mas o Atlético-MG é superior nas duas contas.

Segundo o “Galo”, foram 496 clássicos (199 vitórias atleticanas, 166 cruzeirenses e 131 empates). Já para a “Raposa”, foram 477 jogos (182 triunfos alvinegros, 164 celestes e 131 igualdades).

No “Atletiba”, são 369 duelos, com 142 vitórias do Coritiba, 116 do Atlético-PR e 111 empates.

Já em Salvador, o Bahia tem amplo domínio sobre o rival Vitória: em 476 clássicos, foram computados 178 triunfos tricolores, 152 rubro-negros e mais 146 empates.

FICHA TÉCNICA:
CORINTHIANS X PALMEIRAS

Local: Arena Corinthians, em São Paulo (SP)
Data: 22 de fevereiro de 2017, quarta-feira
Horário: 21h45 (de Brasília)
Árbitro: Thiago Duarte Peixoto (SP)
Assistentes: Emerson Augusto de Carvalho (SP) e Marcelo Carvalho Van Gasse (SP)

CORINTHIANS: Cássio; Fagner, Balbuena, Pablo e Guilherme Arana; Gabriel, Maycon, Romero, Rodriguinho e Marlone; Kazim. Técnico: Fábio Carille

PALMEIRAS: Fernando Prass; Jean, Mina, Vitor Hugo e Zé Roberto; Felipe Melo; Michel Bastos, Raphael Veiga, Guerra (Keno ou Thiago Santos) e Dudu; Willian. Técnico: Eduardo Baptista

 

 

 

http://espn.uol.com.br/

 

Leia também: