Brasil Economia

Cinco empregos ameaçados pelos robôs nos próximos anos

Compartilhe

Enquanto muitos de nós estamos entusiasmados com o futuro e as conveniências que a inteligência artificial poderá fornecer em nossas vidas, dois terços dos americanos acreditam que os robôs executarão a maior parte do trabalho atualmente feito por seres humanos. De acordo com um relatório do Fórum Econômico Mundial, a automação robótica será responsável por uma perda de mais de 5 milhões de empregos em 15 nações desenvolvidas. Mas quais profissões que estão sob ameaça? A revista Forbes enumerou cinco delas.

Motoristas de caminhão

Estima-se que atualmente existam mais de 3,5 milhões de motoristas de caminhão somente nos EUA, mas se depender a empresa Otto Motors muitos destes postos de trabalho estão com os dias contados. A startup, que possui apoio financeiro do Uber e tem ex-profissionais do Google como fundadores, ostenta como missão principal tornar esta atividade obsoleta.

No último mês de outubro, a empresa de caminhões autônomos afirmou que um de seus veículos transportou 25 mil latas de cervejas nas estradas dos EUA sem ninguém ao volante. O carro de 18 rodas dirigiu por mais de 193 quilômetros, entre Fort Collins e Colorado Springs, no Colorado.

Profissionais de apoio jurídico

De acordo com o relatório da consultoria Deloitte Insight, 39% dos postos de trabalho no setor jurídico estarão automatizados até 2020. Rever documentos e encontrar informações de apoio relevantes para casos legais são tarefas bem adaptadas às capacidades da inteligência artificial.

Médicos

Os robôs-médicos já ocupam postos de trabalho em grandes hospitais. A IBM já está se unindo com organizações para ajudar a detectar e tratar o câncer. O futuro próximo contará com um número cada vez maior de máquinas realizando procedimentos antes realizados por humanos formados na área de saúde, inclusive de maneira autônoma, ou seja, sem que o equipamento seja operado por uma pessoa.

Jornalistas

Os repórteres ainda terão seus empregos, mas aqueles que escrevem sobre relatórios financeiros, avaliando e interpretando informações, podem estar com seus cargos em risco. No início deste ano, um robô fez sua estreia em um jornal chinês com um artigo de 300 caracteres escrito em apenas um segundo.

O robô Xiao Nan é capaz de redigir contos e relatórios mais longos, de acordo o professor da Universidade de Pequim, que lidera a equipe estudando e desenvolvendo essa tecnologia, Wan Xiaojun.

Vendedores

Com consumidores que recorrem cada vez mais ao comércio eletrônico, os vendedores também estão com seus cargos ameaçados. A tecnologia está mudando rapidamente esta atividade e qualquer um que precise desses empregos poderá cair no esquecimento.

Isso porque a inteligência artificial, ao contrário de um humano, é capaz de analisar o perfil de um possível comprador, seus hábitos online e que tipo de produtos ele mais procura em uma fração de segundos.

PENOTÍCIAS

Leia também: