Notícias

Em resposta a FBC, Paulo Câmara diz que não vê necessidade de aproximação com o PT

Compartilhe:
imagem
O governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB), respondeu, no final da manhã desta segunda-feira (12), durante uma visita de cortesia ao Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE), ao artigo do senador eleito Fernando Bezerra Coelho (PSB) que defendia uma reaproximação com o governo federal como a que foi feita por Miguel Arraes e Eduardo Campos com Lula em 2006, quando o PSB teve candidato próprio.
“Eu não vejo necessidade de uma aproximação partidária agora. Essa aproximação já existe como instituições e é isso o que a gente preza e que quer fortalecer”, afirmou Paulo Câmara.
a“Fui eleito governador de Pernambuco apoiando outro projeto, apoiando o projeto que começou com Eduardo e foi finalizado com Marina. Então nós temos uma visão diferente de muitas coisas, por isso que a posição de independência é tão importante. E eu acho que o momento atual é de manter essa posição, defender os projetos que são de interesse do Brasil e ter a tranquilidade de deixar a presidente governar”, explicou.

O PSB rompeu com o PT em 2013, quando Eduardo Campos passou a construir sua candidatura presidencial. Depois da morte do ex-governador, o partido lançou a ex-senadora Marina Silva, que enfrentou muitas críticas do PT, e, no segundo turno, marchou com o senador Aécio Neves (PSDB).
Passada a eleição, o partido decidiu manter-se independente em relação ao segundo mandato de Dilma Rousseff (PT).
Ex-ministro da petista na primeira gestão, Fernando Bezerra Coelho (PSB), porém, tem aproximação com o governo federal e já teve encontro com alguns ministros nos últimos dias. (Jamildo)
Terça, 13 de Janeiro de 2015 – Postado por Elismar Rodrigues

Leia também: