Notícias Ouricuri Parnamirim

Funcionária de Escola em Parnamirim diz que pais de alunos que moram no município de Ouricuri deveriam transferir o titulo se quisessem que seus filhos estudassem lá

Compartilhe:

 

“Se vocês queriam que seus filhos viessem estudar aqui, tinham transferido o título para dar mais força”, disse a funcionária da escola
Os pais de alunos, Francisco Rodrigues que tem três filhos de 16, 19 e 20 anos e Luiz Carlos da Silva que tem um filho de 16 anos e fazem o Ensino Médio, ficaram indignados com a resposta indiretamente política de uma funcionária da Escola Estadual Raimundo Batista Angelim em Parnamirim.
As famílias dos jovens, residem no Sítio lagoa Nova, próximo ao Povoado Lopes que pertence a Ouricuri, distante cerca de 40 Km da sede, no entanto o Lagoa Nova fica mais próximo de Parnamirim, são apenas 12 km. Por esta razão os pais, resolveram matricular os jovens na escola mais perto de casa, no caso, a Raimundo Batista. Foram momentos tensos para os pais que só queriam uma resposta sobre o transporte escolar, eles contam que no ano passado por causa da distância os garotos quase foram reprovados.
“A escola sempre recebeu a gente de boa, eu não quero prejudicar ninguém, mas ela alega que o transporte não pode carregar os alunos sem ganhar nada, nos queremos é que seja medida a quilometragem para poder eles estudar,. Eu entendo que eles ajeitam o transporte, mas como eles, os meus filhos são albinos, tem dificuldade para enxergar e não podem vir para Ouricuri, eu fico com medo, porque é longe e eles tem de andar muito”, lamentou Francisco Rodrigues.
Os pais estão dispostos a compreender a situação, Francisco e Luiz Carlos, saíram desapontados com a reposta de uma das funcionárias da secretaria da escola ao serem convocados para falar sobre o transporte, quando ouviram da funcionária claramente: “Já que querem estudar aqui, deviam ter transferido o título pra dar mais força”.
“Ela veio me dizer que não tinha carro porque Lagoa Nova era do município de Ouricuri, e disse que se nós queria que os meninos estudasse lá tivesse transferido o título para Parnamirim, para dar mais força, então eu disse: E a senhora tá é fazendo política dentro da escola? E ela disse: Tô, é política sim. Levei o caso para a secretária de educação que nos prometeu tomar providências. Fiquei meio assim, isso não existe, eu ter que transferir meu título para o meu filho estudar?” contou o pai Luiz Carlos Silva.
Além da secretaria de educação, os pais prometeram procurar o Procon para registrar a queixa, na esperança que seja solucionada a questão e os filhos possam estudar tranquilamente.(Fonte: Cidinha Medrado/GR FM)

Leia também: